Economia Sem Makas: Presidente da república  já autorizou créditos adicionais ao OGE

Presidente da república  já autorizou créditos adicionais ao OGE de quase um bilião de kwanzas mais de 10% da despesas orçamentada

Data de Emissão: 01-12-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: Privatização da Sonangol não deverá acontecer antes de 2027

Privatização da Sonangol não deverá acontecer antes de 2027

Data de Emissão: 01-12-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: Angola é o quarto pior país na atração e capacitação de talentos num ranking de 133 países

Angola é o quarto pior país na atração e capacitação de talentos num ranking de 133 países

Data de Emissão: 29-11-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: José de Lima Massano foi ouvido ontem na Assembleia Nacional

José de Lima Massano foi ouvido ontem na Assembleia Nacional na qualidade de candidato a Governador do Banco Nacional de Agola. Está cumprida a formalidade para ser nomeado novo Governador do BNA pelo PR João Lourenço

Data de Emissão: 29-11-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: BNA mantém política monetária 

[ ] Governo quer aumentar pagamentos dos angolanos para o serviço nacional de saúde através de taxas pela utilização dos serviços 

[ ] BNA mantém política monetária 

[ ] Proposta do Governo de nova divisão política administrativa de Angola a circular nas redes sociais prevê 20 Províncias e 581 municípios 

[ ] Governo injecta 187,6 mil milhões Kz em empresas públicas 

[ ] Angola no penúltimo lugar do ranking mundial par atrair e capacitar talentos

Data de Emissão: 28-11-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: Termina hoje no Níger a semana da industrialização de África

Termina hoje no Níger a semana da industrialização de África, iniciativa da União Africana que decorreu no Níger. Como fazer da indústria infractor decisivo como dizia Agostinho Neto e a questão

Data de Emissão: 25-11-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: Os lucros dos bancos não param de crescer

Os lucros dos bancos não param de crescer. Nos nove primeiros meses de 2022 os bancos lucraram 307 mil milhões  Kwanza mais 26,7% do que no mesmo período do ano passado segundo as contas do Expansão

Data de Emissão: 24-11-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: 349 das 4284 obras visitadas pelo INE no segundo trimestre estavam paralisadas

349 das 4284 obras visitadas pelo INE no segundo trimestre estavam paralisadas

Data de Emissão: 23-11-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: Taxa de desemprego baixou 0,2 pontos percentuais no terceiro trimestre

Taxa de desemprego baixou 0,2 pontos percentuais no terceiro trimestre taxa de desemprego baixou 0,2 pontos percentuais no terceiro trimestre para 30,2% correspondente a quatro milhões novecentos e treze mil setecentos e quarenta e cinco desempregados

Data de Emissão: 22-11-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: Edição de 21 de Novembro de 2022

[ ] Privatização  UNITEL será por concurso público internacional 

[ ] Mandado de captura de Isabel dos Santos

[ ] FMI recomenda prudência fiscal ao Governo 

[ ] Oito em cada 19 obras paradas

Econômica Sem Makas: Os preços dos Combustíveis em Angola

O Litro de gasolina nas bombas em Angola devia custar 398,4 Kz e o do gasóleo 405,79 de acordo com cálculos a partir dos subsidios aos combustíveis do primeiro trimestre de 2022 divulgados pelo IGAPE. Uma pessoa que faça diariamente Kilamba-Mutamba num carro que gaste 13 litros aos 100 km poupa quase 50 mil Kz mês

Data de Emissão: 17-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: Petróleo e Diamantes, que força têm na nossa Economia

Petróleo e Diamantes, que força têm na nossa Economia

Data de Emissão: 17-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: População mundial atingiu 8 mil milhões de pessoas

População mundial atingiu 8 mil milhões de pessoas

Data de Emissão: 16-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Os gigantes da tecnologia estão a despedir dezenas de milhar de trabalhadores para cortar custos

Os gigantes da tecnologia estão a despedir dezenas de milhar de trabalhadores para cortar custos. Será apenas uma correção ou o fim da era de ouro d ruma indústria que parecia invencível?

Data de Emissão: 15-11-2022 às 07:31
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Contas do INE revelam aumento da petrodependéncia com João Lourenço

[ ] Contas do INE revelam aumento da petrodependéncia com João Lourenço 

[ ] Descida da inflação mensal chegou ao fim?

[ ] Economistas de acordo que valorização do Kz foi forçada por motivos eleitorais

[ ] Quénia revela acordo de financiamento chinês para construção de caminho de ferro

Data de Emissão: 14-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Vamos falar sobre a nossa dipanda

Vamos falar sobre a nossa dipanda. Sobre a multiplicação de narrativas de que no templo colonial as coisas eram melhores

Data de Emissão: 11-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Governo quer cobrar aos automobilistas que circulam nas estradas do país

A maka das portagens volta à actualidade. Governo quer cobrar aos automobilistas que circulam nas estradas do país chamando-lhe uma nova de financiamento

Data de Emissão: 10-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Cimeira do ambiente

Cimeira do ambiente em particular da necessidade dos países ricos financiarem os países em desenvolvimento

Data de Emissão: 09-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Luanda vai ter centro de congressos e conferências

Luanda vai ter centro de congressos e conferências no que parece ser a recuperação de uma parte do bairro dos ministérios.

Data de Emissão: 08-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Plano Integrado de Intervenção de Luanda 

[ ] Plano Integrado de Intervenção de Luanda 

[ ] Informalidade mulheres angolanas entre as mais empreendedoras do mundo

[ ] Espanhóis reafirmam que BFA continua à venda 

[ ] Concessão corredor do Lobito assinada 

[ ] Guerra Ruanda RDC 

Data de Emissão: 07-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Economia sem macas, BNA quer incentivar a poupança

BNA quer incentivar a poupança

O Banco Nacional de Angola promove, de 31 de Outubro a 5 de Novembro, em Luanda e nas Delegações Regionais, a Oficina de Educação Financeira sob o lema “Construir Independência e Resiliência Financeira”, acto que terá lugar na praça Saydi Mingas, Museu da Moeda. 
 
A iniciativa visa promover a educação financeira no seio das crianças, jovens e adultos, através da partilha de conhecimento sobre gestão de finanças pessoais, com foco na poupança e na elaboração do orçamento familiar. 
 
O evento prevê várias acções, incluindo palestras sobre empreendedorismo, investimento, seguros e fundos de pensões, digitalização do sistema financeiro e actividades lúdicas como teatro, música e dança. 
 
A Oficina de Educação Financeira faz parte das iniciativas estratégicas do Banco Nacional de Angola para o aumento da literacia financeira e envolve múltiplos parceiros, nomeadamente, a Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG), Ministério da Educação (MED), Comissão de Mercado de Capitais, Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI), entre outras instituições públicas e privadas. 
 
A oficina de Educação Financeira tem sido realizada desde 2017, tendo já ocorrido nas províncias de Benguela e Huila. 
Data de Emissão: 03-11-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaEntrevista
Tópicos(s): BNApoupança
Econômica Sem Makas: Zona franca da barra do Dande prevê um investimento de 1.550 milhões USD

A primeira fase da Zona Franca da Barra do Dande, província do Bengo, em Angola, envolve um investimento de 1.550 milhões de dólares em infraestruturas, dos quais 960 milhões do setor privado e vai criar 21.000 postos de trabalho.

Os números foram avançados pelo secretário de Estado secretário de Estado para a Aviação Civil, Marítima e Portuária, Emílio Londa, numa apresentação do projeto que teve lugar hoje em Luanda.

Armazenagem, processamento alimentar, metalomecânica, montagem e peças automóveis, painéis solares e energias alternativas são as áreas definidas como prioritárias, estando a decorrer atualmente o concurso público por prévia qualificação para subconcessão  de quatro componentes: terminal portuário, reserva nacional de cereais, refinaria de óleo alimentar e parque de energias renováveis.

Emílio Londa apontou ainda a criação de um Centro de Inovação, Formação Técnico-Profissional e de Desenvolvimento Tecnológico como “um instrumento essencial e diferenciador para este projeto”.

“O desenvolvimento de Angola será certamente mais equilibrado e sustentável, se soubermos priorizar e fomentar as competências locais dos nossos trabalhadores, através da formação”, sublinhou.

Em julho, a Sociedade de Desenvolvimento da Barra do Dande e o Ministério da Economia e Planeamento, enquanto entidade reguladora e de supervisão das Zonas Francas, assinaram um contrato de concessão de gestão que atribui a esta a responsabilidade de implementar os objetivos estratégicos preconizados para o território abrangido pela Zona Franca da Barra do Dande.

Entre estes contam-se: promoção da competitividade industrial e do comércio externo com produtos “Made in Angola”; criação de reservas estratégicas nacionais; participação do sector privado na economia; criação de emprego e desenvolvimento da formação profissional; e sustentabilidade ambiental da Zona Franca, projectada para os próximos 50 anos da economia nacional

 
Data de Emissão: 02-11-2022 às 07:20
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas, Importação de carros mais do que duplicou em 2021. Um em cada quatro carros vieram da China

Importávamos de carros mais do que duplicou em 2021. Um em cada quatro carros vieram da China

Data de Emissão: 01-11-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas, Crédito à habitação do BNA é um “flop” 

[ ] Crédito à habitação do BNA é um “flop” 

[ ] Governo cumpre metas da dívida

[ ] Associação de Trabalhadores Angolanos quer sindicalismo mais aguerrido 

[ ] Bolsonaro prejudicou relações  económicas Brasil-Angola? Não, dizem estatísticas 

Data de Emissão: 31-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): BFABNABPCMovicel
Econômica Sem Makas, É o regresso das nacionalizações em Angola.

É o regresso das nacionalizações em Angola. PR nacionalizou participações de Isabel dos Santos e da Geni, controlada pelo General Dino, na UNITEL usando a lei da apropriação pública aprovada na sequência da última revisão constituição.

Onda nacionalizadira abrangeu ainda a participação da LL International, holding com ligações a Sam Pa, na Catoca

Data de Emissão: 27-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): BFABNABPCMovicel
Econômica Sem Makas, Porquê que o Dólar está a ficar caro no mercado

Porquê que o Dólar está a ficar caro no mercado

Data de Emissão: 26-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): BNABODIVAMinistério das Finanças
Econômica Sem Makas, Arrancou a semana do Café no Camões

Arrancou a semana do Café no Camões

Data de Emissão: 25-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Mudis, melhorou a sua perspectiva de Angola, a pagar as dividas

Mudis, melhorou a sua perspectiva de Angola, a pagar as dividas

Data de Emissão: 24-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Pequenas e medias empresas vão poder financiar-se na Bodiva

Pequenas e medias empresas vão poder financiar-se na Bodiva

Data de Emissão: 21-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: A ministra das finanças diz que está a pagar antecipadamente dívida a um dos maiores credores de Angola

A ministra das finanças diz que está a pagar antecipadamente dívida a um dos maiores credores de Angola aproveitando o espaço orçamental criado pelo facto de o petróleo estar acima dos 60 USD. Essa possibilidade está prevista nos acordos para suspensão do pagamento do serviço da dívida no quadro do G20

 

Data de Emissão: 20-10-2022 às 07:00
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: A escola de Viana já tem carteiras. Será que cabem todas na sala com 100 alunos?

A escola de Viana já tem carteiras. Será que cabem todas na sala com 100 alunos? Agora falta colocar num número não determinado de outras escolas. Afinal a educação a par da saúde é o principal problema do país…

 

Data de Emissão: 19-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Mensagem sobre o Estado da Nação 

[ ] Mensagem sobre o Estado da Nação 

[ ] Governo quer criar regulador preços cesta básica 

[ ] O novo Banco Económico

[ ] BNA obriga grandes bancos a estar presentes em todos os municípios

 

Data de Emissão: 17-10-2022 às 07:00
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): BNAInflaçãoJosé de Lima Massano
Econômica Sem Makas: Contas públicas registaram um saldo positivo de 1,3 biliões Kz

Contas públicas registaram um saldo positivo de 1,3 biliões Kz no primeiro semestre graças ao petróleo caro e à produção em alta

 

Data de Emissão: 17-10-2022 às 07:00
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): IGAPE
Econômica Sem Makas: Inflação continua a descer e atinge meta do BNA com 3 meses de avanço

Inflação continua a descer e atinge meta do BNA com 3 meses de avanço. Governador Massano já fala em novos cortes nos juros

 

Data de Emissão: 14-10-2022 às 07:00
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): BNAInflaçãoJosé de Lima Massano
Econômica Sem Makas: Está concluída a recapitalização do banco económico

Está concluída a recapitalização do banco económico. Agora falta a reestruturação o segundo R do chamado PRR, plano de recapitalização e reestruturação.  O económico vai ter de fazer pela vida ir à procura de dinheiro para sobreviver sem a muleta do BNA

 

Data de Emissão: 13-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): José de Lima Massano
Econômica Sem Makas: Angola vai crescer menos do que o mundo e África Subsariana

FMI cortou 0,1 pontos percentuais o crescimento de Angola para 2022 e aumentou na mesma percentagem o crescimento de 2023 e 2024. Angola vai crescer menos do que o mundo e África Subsariana

 

Data de Emissão: 12-10-2022 às 07:00
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Os Vencedores do Nobel da Economia

Por que devemos salvar os bancos? Porque são fundamentais para a economia em especial durante as crises financeiras respondem os três Nobel da economia de 2022 premiados justamente pelas suas investigações sobre a importância dos bancos par a economia em particular durante as crises financeiras

 

Data de Emissão: 11-10-2022 às 07:00
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Edição de 10 de Outubro de 2022

[ ] Ser banqueiro em Angola ficou mais difícil com decisão do BNA de aumentar capital social mínimo dos bancos BNA

[ ] BAI e Caixa disparam na bolsa e já estão muito mais caros do que os bancos sul africanos e nigerianos

[ ] Finibanco vendido ao maior banco da Nigéria

[ ] PR precisa de dialogar mais com parceiros sociais e conselho de concertação social é o local certo

[ ] Positivo e negativo do combate à pobreza

 

Data de Emissão: 10-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: O Mercado Petrolífero está em alta

O Mercado Petrolífero está em alta o Ouro negro deve fechar esta semana e subir à 10% depois de depois do corte de 10 milhões de Barril da OPEP mais.

 

Data de Emissão: 07-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Sentença de um juiz do tribunal supremo que nega a liberdade condicional ao antigo ministro dos transportes António Tomás

Sentença de um juiz do tribunal supremo que nega a liberdade condicional ao antigo ministro dos transportes António Tomás que deixou em estado de choque a comunidade jurídica angolana que alega que a decisão é política e não jurídica

 

Data de Emissão: 06-10-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econômica Sem Makas: Angola tem cerca de 11,3 milhões de pobres, mais 2,2 milhões do que em 2018, diz banco mundial

Angola tem cerca de 11,3 milhões de pobres, mais 2,2 milhões do que em 2018, diz banco mundial

 

Data de Emissão: 05-10-2022 às 07:00
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econimia Sem Makas: Economia cresceu 3,6% no segundo trimestre.

Economia cresceu 3,6% no segundo trimestre. Meta do Governo deverá ser cumprida com uma perna às costas

Data de Emissão: 04-10-2022 às 07:00
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Econimia Sem Makas: BNA fecha Prestígio 

[ ] BNA fecha Prestígio 

[ ] Governo estuda quando e como acabar com subsídios aos combustíveis

[ ] Arranque da Zona de Comércio Livre Africana a oito

[ ] PIB cresceu 3,6% no segundo trimestre

Data de Emissão: 03-10-2022 às 00:00
Género(s): Opinião
 
Econimia Sem Makas:  Maca grande no Reino Unido com uma tempestade nos mercados

 Maka grande no Reino Unido com uma tempestade nos mercados, em especial à libra que se encontra em queda livre, depois do governo ter apresentado um mini orçamento prevendo cortes nos impostosBom dia. Maka grande no Reino Unido com uma tempestade nos mercados, em especial à libra que se encontra em queda livre, depois do governo ter apresentado um mini orçamento prevendo cortes nos impostos

Data de Emissão: 30-09-2022 às 07:00
Género(s): Opinião
Tópicos(s): Cimeira do AmbienteCOP26
Econimia Sem Makas: Rescaldo da balança de pagamentos no primeiro semestre

balança de pagamentos no primeiro semestre em especial das importações de alimentos que dispararam quase 50% desmentindo a tese do aumento da importação interna

Data de Emissão: 29-09-2022 às 07:10
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econimia Sem Makas: Destino dado ao património imobiliário recuperado no âmbito da corrupção

 Destino dado ao património imobiliário recoperado no âmbito da corrupção

O Ministério das Finanças publicou um anúncio para arrendar restaurantes e ginásios nos prédios CIF. Precisamos de mais informação sobre o destino do património recuperado, em especial o imobiliário

Data de Emissão: 28-09-2022 às 07:20
Género(s): EconomiaOpinião
 
Econimia Sem Makas: A redução da taxa básica BNA em meio ponto percentual de 20 para 19,50%

Comunicado do Comité de Política Monetária
Considerando a consistência do abrandamento da evolução de preços na economia nacional, particularmente desde o início do ano em curso, como resultado do contínuo e rigoroso controlo da liquidez, da apreciação do kwanza em relação às principais moedas utilizadas nas transacções com o exterior e do aumento da oferta de bens essenciais de amplo consumo, o Banco Nacional de Angola entende estarem reunidas condições para a redução da taxa de juro directora.

 
Assim, o Comité de Política Monetária decidiu: 
 
Reduzir a Taxa Básica de Juro de 20% para 19,50%;
 
Reduzir taxa de juro da Facilidade Permanente de Cedência de Liquidez de 23% para 21%;
Manter inalterada a taxa de Juro da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez em 15%. 
 
Além do ambiente interno, a decisão tomada teve em consideração o contexto externo e riscos inerentes, dada a exposição da economia angolana ao sector petrolífero e ao peso dos bens alimentares importados no cabaz de oferta ao mercado interno. O Banco Nacional de Angola continuará a acompanhar de perto os desenvolvimentos internacionais mais impactantes sobre a nossa economia, de modo a poder actuar atempadamente caso a evolução justifique.  
 
A nível global, a larga maioria das economias continua a observar taxas de inflação elevadas, provocadas pelo conjunto de medidas tomadas para contrariar os efeitos da pandemia da Covid-19 e pelo choque negativo dos preços dos combustíveis e dos alimentos, em consequência de um contexto internacional influenciado pelo conflito militar no leste europeu. 
 
Face a esta situação, os bancos centrais têm vindo a optar por políticas monetárias com sentido contracionista, operacionalizadas principalmente através do aumento continuado das taxas de juro de referência.
 
No plano nacional, os fundamentos macroeconómicos continuam animadores.
O sector externo da economia tem vindo a beneficiar da melhoria dos termos de troca, com a conta de bens a registar um saldo superavitário de 23,3 mil milhões de dólares norte-americanos em termos acumulados até Agosto de 2022, um aumento de 78,5% comparativamente a igual período de 2021. Este desempenho positivo reflecte o aumento do valor das exportações em 67,8% que excedeu o crescimento de 49,2% observado nas importações. 
 
As projecções do sector externo para os restantes meses do ano em curso mantêm-se positivas, não obstante a previsão de pressão em baixa do preço do barril de petróleo nos mercados internacionais, dadas as expectativas de abrandamento do ritmo de crescimento das principais economias mundiais.
 
As Reservas Internacionais, no final do mês de Agosto, situaram-se em 13,8 mil milhões de dólares norte-americanos, o que se traduz numa cobertura de cerca de 7 meses de importações de bens e serviços.
 
No sector real, os dados sobre o emprego e o clima de confiança dos gestores e empresários, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), referentes ao segundo trimestre de 2022, evidenciam a consolidação do crescimento da actividade económica. O desemprego reduziu pelo terceiro trimestre consecutivo, atingindo uma taxa de 30,2%, abaixo da registada no mesmo período do ano transacto que foi de 31,6%, ao passo que a confiança dos gestores e empresários do sector não financeiro relativamente à evolução da economia nacional no curto prazo se mostrou optimista.
 
Não obstante as incertezas sobre a economia internacional e potencial impacto sobre a economia nacional, a perspectiva do crescimento da actividade económica no país é positiva, tanto para último trimestre do corrente ano, como para 2023.
 
No que se refere à actividade financeira, comparativamente a Dezembro de 2021, destaca-se o crescimento em 7,1% do stock de crédito concedido em moeda nacional. Apesar da preocupação com o crédito mal parado que se situa em 21%.
 
No domínio monetário, a trajectória da Base Monetária em moeda nacional continua consistente com os objectivos de política monetária, tendo recuado 0,12% no mês de Agosto, correspondendo a contração no ano de 2,74%. 
 
A inflação prossegue o seu percurso de desaceleração e no mês de Agosto fixou-se em 19,8%, abaixo dos 21,4% do mês anterior e dos 26,1% do período homólogo. As classes de (i) Alimentação e bebidas não alcoólicas, (ii) Hotéis, cafés e restaurantes e de (iii) Lazer recreação e cultura foram as que mais contribuíram para a queda do ritmo de crescimento da inflação homóloga. 
 
O Comité de Política Monetária mantém a perspectiva de a taxa de inflação no final do ano em curso situar-se abaixo da previsão inicial de 18%, caminhando para o objectivo de um dígito no médio prazo.
 
A próxima reunião do Comité de Política Monetária, realizar-se-á no dia 25 de Novembro de 2022, devendo ocorrer na cidade do Uíge.

 

Data de Emissão: 27-09-2022 às 07:00
Género(s): Opinião
Tópicos(s): Cimeira do AmbienteCOP26
Economia Sem Makas, edição de 26 de Setembro de 2022

[ ]  Em 10 anos a CMC, a polícia das bolsas, já vai em 6 comandantes gerais

[ ] Fitch Solutions diz que Angola vai crescer 3,5% 

[ ] Europa caça talentos em África

[ ] Afinal é possível fazer manifestações grandes e pacíficas em Angola sem confusão

Data de Emissão: 26-09-2022 às 07:00
Género(s): Opinião
Tópicos(s): Cimeira do AmbienteCOP26
Econimia Sem Makas: Aumentos salariais dos militares e polícias

Aumentos salariais dos militares e polícias

Data de Emissão: 22-09-2022 às 07:00
Género(s): Opinião
Tópicos(s): Cimeira do AmbienteCOP26
Econimia Sem Makas: Investimento publicitário cresce 8,3%

Investimento publicitário cresce 8,3%no primeiro semestre graças a tv e rádio. Imprensa cai

Data de Emissão: 21-09-2022 às 07:00
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): MPLARNATeixeira CândidoTPA
Economia Sem Makas: Tomada de posse dos membros do novo Governo e o discurso do João Lourenço

 

João Lourenço dá hoje dia 19 de Setembro posse ao novo governo angolano nomeado por si

João Lourenço dá hoje posse ao novo governo angolano nomeado por si Pedro Parente-Epa

A cerimónia de tomada de posse dos membros do novo Governo de Angola tem lugar esta segunda-feira, às 9h00 (mesma hora em Lisboa) no Palácio Presidencial, em Luanda.

 

O presidente angolano nomeou na sexta-feira um novo executivo com 28 membros, incluindo quatro ministros de Estado, em que apenas cinco são estreantes, entregando o governo de Luanda, a Manuel Homem, ex-ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

 

Adão de Almeida é reconduzido como ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República, tal como Manuel José Nunes Júnior, ministro de Estado para a Coordenação Económica do Presidente da República, e Francisco Pereira Furtado mantém-se como ministro de Estado e chefe da Casa Militar do Presidente da República.

 

Dalva Ringote Allen, ex-secretária de Estado da Economia é promovida a ministra de Estado e Área Social.

Permanecem inalterados nos cargos João Ernesto dos Santos, como ministro da Defesa Nacional, Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Eugénio Cesar Laborinho, ministro do Interior, e Téte António, ministro das Relações Exteriores.

 

Marcy Cláudio Lopes, até agora na Administração do Território transita para a Justiça e Direitos Humanos, sendo substituído no cargo anterior por Dionísio Manuel da Fonseca, que foi vice-governador para o setor Político e Social em Luanda.

 

Vera Daves de Sousa volta a ser ministra das Finanças, o mesmo acontece com Mário Caetano João, que mantém a tutela da Economia e Planeamento, Teresa Rodrigues Dias, que continua na Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, e António Assis, que se mantém com a Agricultura e Florestas.

 

Victor Fernandes é reconduzido como ministro da Indústria e Comércio, Diamantino Pedro Azevedo, como ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Ricardo Viegas D´Ábreu, nos Transportes, João Baptista Borges, na Energia e Águas, e Felipe Zau, na Cultura e Turismo, deixando de ter a tutela do Ambiente.

 

Mantém-se também Maria do Rosário Sambo, no Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Luísa Grilo, na Educação, e Sílvia Lutucuta, na Saúde.

 

A bióloga Carmen Neto dos Santos estreia-se nas Pescas e Recursos Marinhos, cuja tutela estava anteriormente fundida com a da Agricultura.

 

Carlos Alberto Gregório dos Santos, ascende a ministro das Obras Públicas, Urbanismo e Habitação, tal como Mário Augusto da Silva Oliveira, nas Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Ana Paula do Sacramento Neto assume a Ação Social, Família e Promoção da Mulher, na Juventude e Desportos fica Palmira Leitão Barbosa.

 

Ana Paula de Carvalho, ex-governadora de Luanda será a nova ministra do Ambiente

 

 

“O vencedor perdeu” foi como a Economist titulou a sua análise às eleições gerais em Angola, realizadas no mês passado e envoltas em séria controvérsia desde então. Reconhecendo o desfasamento entre os resultados tidos como oficiais e o sentimento da sociedade civil, expondo o domínio do MPLA sobre o Tribunal Constitucional e a Comissão Nacional Eleitoral, a publicação inglesa traça um retrato sombrio da nação africana. Um regime miserável com um povo na miséria, resumindo.

Data de Emissão: 20-09-2022 às 07:20
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): João Lourenço
Economia Sem Makas, Edição 19 de Setembro de 2022

BNA admite baixar taxa de juro de referência

O abrandamento da inflação, influenciado pela valorização da moeda nacional, o kwanza, nos últimos meses, pode ser determinante para a redução da taxa de juro de referência.

BNA prevê que a inflação venha a abrandar para menos de 18%, até ao final deste ano. (Foto: D.R.)O Banco cional de Angola (BNA) poderá, futuramente, baixar a taxa de juro de referência, tendo em conta o abrandamento da inflação, influenciado pela valorização da moeda nacional, o kwanza, nos últimos meses, disse o seu governador, José de Lima Massano.

Até ao fim de 2022, o BNA prevê que a inflação venha a abrandar para menos de 18%. O desejo do banco central angolano de baixar a taxa de juro não é novo. Numa conferência que decorreu perto de Lisboa, em Junho, Massano admitiu esta vontade, salientando, entretanto, que não havia ainda condições.

“Temos grande vontade de tornar as condições mais relaxadas, mas temos de fazer este caminho com realismo. A nossa missão primeira é a estabilidade de preços”, afirmou, na altura, José de Lima Massano.

Numa entrevista à Bloomberg, o responsável disse prever que as taxas de juro “sigam a mesma tendência de abrandamento da inflação”, que tem vindo a baixar, embora que, de acordo com o regulador do sistema bancário angolano, em Julho, foi registada uma taxa de 21,4%.

 Novo governo mais gordo

O Presidente João Lourenço, nomeou, esta sexta-feira (16.09), os membros que integram o novo Governo angolano.

 

Não há novidades em 15 dos 23 Ministérios. Vera Daves voltará a chefiar o Ministério das Finanças, João Ernesto dos Santos volta a assumir a pasta da Defesa, Eugénio Laborinho continuará a ser ministro do Interior e Téte António mantém-se como chefe da diplomacia.

 

Uma das poucas alterações neste Executivo é a criação de um Ministério do Ambiente, independente da pasta da Cultura e Turismo.

 

Por outro lado, o Ministério da Agricultura e Pescas passará somente a ser responsável pela Agricultura e Florestas. Foi entretanto criado um novo Ministério das Pescas e Recursos Marinhos, chefiado por Carmen Sacramento Neto, uma das poucas novas caras novas do Governo.

 

ECO Angola Plastik Umwelt

Angola passa a ter um Ministério dedicado exclusivamente ao Ambiente: Será chefiado por Ana Paula de Carvalho, que desempenhava até agora o cargo de governadora de Luanda

 

De acordo com a informação disponibilizada na página na Presidência de Angola, são integrantes do novo Executivo angolano os seguintes nomes:

 

  1. João Ernesto dos Santos, Ministro da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria;

 

  1. Eugénio Cesar Laborinho, Ministro do Interior;

 

  1. Téte António, Ministro das Relações Exteriores;

 

  1. Dionísio Manuel da Fonseca, Ministro da Administração do Território;

 

  1. Marcy Cláudio Lopes, Ministro da Justiça; e dos Direitos Humanos;

 

  1. Vera Esperança dos Santos Daves de Sousa, Ministra das Finanças;

 

  1. Mário Caetano João, Ministro da Economia e Planeamento;

 

  1. Teresa Rodrigues Dias, Ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social;

 

  1. António Francisco de Assis, Ministro da Agricultura e Florestas;

 

  1. Carmen Sacramento Neto, Ministra das Pescas e Recursos Marinhos;

 

  1. Victor Francisco dos Santos Fernandes, Ministro da Indústria e Comércio;

 

  1. Diamantino Pedro Azevedo, Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás;

 

  1. Ricardo Daniel Sandão Queirós Viegas D´Ábreu, Ministro dos Transportes;

 

  1. João Baptista Borges, Ministro da Energia e Águas;

 

  1. Carlos Alberto Gregório dos Santos, Ministro das Obras Públicas, Urbanismo e Habitação;

 

  1. Mário Augusto da Silva Oliveira, Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social;

 

  1. Maria do Rosário Bragança Sambo, Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação,

 

  1. Luísa Maria Alves Grilo, Ministra da Educação,

 

  1. Sílvia Paula Valentim Lutucuta, Ministra da Saúde,

 

  1. Ana Paula do Sacramento Neto, Ministra da Ação Social, Família e Promoção da Mulher,

 

  1. Felipe Silva de Pina Zau, Ministro da Cultura e Turismo;

 

  1. Ana Paula Chantre Luna de Carvalho, Ministra do Ambiente;

 

  1. Palmira Leitão Barbosa, Ministra da Juventude e Desportos,

 

  1. Ana Maria de Sousa e Silva, Secretária do Conselho de Ministros.

 

Edeltrudes Costa

Edeltrudes Costa continuará como chefe de Gabinete de João Lourenço, apesar das polémicas em que se viu envolvido

 

Gabinete do Presidente da República

Para o seu gabinete, volta a ser nomeado Edeltrudes Maurício Fernandes Gaspar da Costa como ministro e diretor do Gabinete do Presidente da República.

 

Felix de Jesus Cala assume o cargo de secretário-geral do Presidente da República; Avelina Escórcio dos Santos e Santos é nomeada para o cargo de diretora  adjunta do Gabinete do Presidente da República; e Edson Ulisses de Carvalho Alves Barreto para o cargo de diretor do Gabinete de Quadros do Presidente da República. 

 

O chefe de Estado angolano nomeou ainda Adão Francisco Correia de Almeida para o cargo de ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República; Manuel José Nunes Júnior, para o cargo de Ministro de Estado para a Coordenação Económica do Presidente da República; e Dalva Maurícia Calombo Ringote Allen, para o cargo de Ministra de Estado para Área Social do Presidente da República.

 

Angola Luanda Wahlen Stadtansicht

Novo governador de Luanda será Manuel Gomes Homem, antigo ministro da Informação

 

Governadores provinciais

Também, esta sexta-feira, foram conhecidos os nomes que vão liderar os governos provinciais. Segundo a Presidência da República, são nomeadas as entidades para os cargos abaixo designados:

 

Manuel Gomes da Conceição Homem, para o cargo de Governador da Província de Luanda;

 

Pereira Alfredo, para o cargo de Governador da Província do Bié;

 

Maria Antónia Nelumba, para o cargo de Governadora da Província do Bengo;

 

Luis Manuel da Fonseca Nunes, para o cargo de Governador da Província de Benguela;

 

Mara Regina da Silva Baptista Domingos Quiosa, para o cargo de Governadora da Província de Cabinda;

 

Gerdina Ulipamue Didalewa, para o cargo de Governadora da Província do Cunene;

 

José Martins, para o cargo de Governador do Cuando Cubango

 

Pedro Maquita Armando Júlia, para o cargo de Governador da Província do Cuanza Norte;

 

Job Pedro Castelo Capapinha, para o cargo de Governador da Província do Cuanza Sul;

 

Lotti Nolika, para o cargo de Governadora da Província do Huambo;

 

Nuno Bernabé Mahapi Dala, para o cargo de Governador da Província da Huíla;

 

Deolinda Ódia Paulo Satula Vilarinho, para o cargo de Governadora da Província da Lunda Norte;

 

Daniel Felix Neto, para o cargo de Governador da Província da Lunda Sul;

 

Marcos Alexandre Nhunga, para o cargo de Governador da Província de Malanje;

 

Ernesto Muangala, para o cargo de Governador da Província do Moxico;

 

Augusto Archer de Sousa Mangueira, para o cargo de Governador da Província do Namibe;

 

José Carvalho da Rocha, para o cargo de Governador da Província do Uíge;

 

Adriano Mendes de Carvalho, para o cargo de Governador da Província do Zaire.

 Chineses não querem Porto de Contentores e Carga Geral do Lobito

Data de Emissão: 19-09-2022 às 08:00
Econômica Sem Makas: Análise ao discurso do PR João Lourenço na tomada de posse

Vamos abordar o discurso do presidente da república que me pareceu apontar para a continuidade da governação do primeiro mandato

 

Data de Emissão: 16-09-2022 às 07:30
Econômica Sem Makas: Os desafios de João Lourenço para os próximos 5 anos

Os desafios de João Lourenço para os próximos cinco anos

 

Data de Emissão: 15-09-2022 às 08:00
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): Eleições Gerais 2022
Economia Sem Makas: Contratação publica simplificada

Contratação publica simplificada

Data de Emissão: 14-09-2022 às 08:00
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): INE
Economia Sem Makas: A inflação voltou a descer em Agosto

A inflação voltou a descer em Agosto e está já abaixo dos 20%

Data de Emissão: 13-09-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): INE
Economia Sem Makas, edição de 12 de Setembro de 2022

Angola está entre os países de desenvolvimento médio

Angola obteve um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,581, que coloca o país na categoria de “desenvolvimento médio”, no relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com dados relativos a 2017.

 

Angola está na posição 147 de 189, com IDH a crescer todos os anos. Este ano, as categorias foram alteradas e fazem parte da categoria média os países com IDH entre 0,550 e 0,699, o que dá um total de 39 países na categoria, entre os quais cinco países de língua portuguesa.

“Falando de países de língua portuguesa, têm um bom exemplo de Angola, que aumentou e está no desenvolvimento médio”, disse à Lusa Milorad Kovacevic, chefe de estatística do relatório, na apresentação do documento em, Nova Iorque.

 Os censos em Angola, em 2015, que não existiam depois da independência em 1974, vieram melhorar as estatísticas obtidas e mostrar que o país está em “muito melhor forma e em nível de desenvolvimento melhor do que se acreditava anteriormente”.

O director do PNUD, Achim Steiner, afirmou que os desafios no panorama angolano são as políticas aplicadas e a distribuição dos rendimentos e comparou Angola a Cabo Verde, países com rendimentos per capita similares: 5.790 dólares em Angola e 5.983 em Cabo Verde, mas com uma diferença de 22 lugares no ‘ranking’ (Cabo Verde está na posição 125).

Num índice de percepção de bem-estar, com valores de 0 a 10, a população angolana obteve 3,8 pontos na escala de satisfação. Apenas 29 por cento dos angolanos se consideram satisfeitos com a qualidade dos cuidados de saúde prestados.

Os angolanos têm uma esperança média de vida de 61,8 anos, enquanto Cabo Verde é de 73 anos. O desemprego é de 8,2 por cento e, desde 2010, Angola sofre uma inflação nos preços, que aumentaram 2,81 vezes. A taxa de fertilidade é de 5,6 filhos por mulher.

 

– Petro Atletico de Luanda, apresenta relatório e contas com uma previsão de gastos de 21 milhões de Dólares anos

– O Banco Caixa Geral Angola (BCGA) é a segunda empresa a entrar na bolsa angolana, com uma oferta pública inicial de 25% das ações detidas pela Sonangol, que deve render quase 60 milhões de euros à petrolífera estatal.

A operação, que teve início na segunda-feira e decorre até 16 de setembro, foi apresentada na terça-feira em Luanda.

Data de Emissão: 12-09-2022 às 08:00
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): BAIBODIVA
Economia Sem Makas: Banco central europeu faz aumento recorde das taxas de juro para combater inflação

Banco central europeu faz aumento recorde das taxas de juro para combater inflação

Data de Emissão: 09-09-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas: Baixa do preço do barril de petróleo

Baixa do preço do barril de petróleo 11 meses depois 

Data de Emissão: 08-09-2022 às 07:30
Género(s): EconomiaOpinião
Tópicos(s): Petróleo
Economia Sem Makas: Índice de confiança dos empresários angolanos aumentou

Índice de confiança dos empresários angolanos atingiu o máximo dos últimos 7 anos

Empresários mais optimistas com a evolução da economia no final de 2022

Expectativas dos empresários sobre a economia angolana no curto prazo melhoraram, ou seja o pessimismo dos gestores e patrões está a cair, embora as dificuldades em desenvolver um negócio no País ainda persistam. Especialistas apontam a recuperação do preço do petróleo como estando na base deste optimismo. Ainda assim, há relatos da fraca procura por serviços, dificuldades financeiras e falta de matérias-primas.

Data de Emissão: 06-09-2022 às 07:30
Economia Sem Makas, edição de 05 de Setembro de 2022

– Voo turbulento da TAAg

– BAI dispara na bolsa

– INE divulga PIB na óptica da despesa

– Eleições comparação dos diferentes resultados

Data de Emissão: 05-09-2022 às 08:00
Género(s): EconomiaOpinião
 
Economia Sem Makas, edição de 02 de Setembro de 2022

Fundo Soberano de Angola vence premio internacional 

Data de Emissão: 02-09-2022 às 07:30
Género(s): Opinião
Tópicos(s): BODIVAPIMM
Economia Sem Makas, edição de 01 de Setembro de 2022

Banco Económico com novo presidente para comandar a Instituição depois da Restruturação

Data de Emissão: 01-09-2022 às 08:00
Género(s): Opinião
Tópicos(s): Cimeira do AmbienteCOP26
Economia Sem Makas, edição de 31 de Agosto de 2022

Direcção da TAAG nega venda da companhia

As Linhas Aéreas de Angola – TAAG desmentiram, neste fim-de-semana, em comunicado, os rumores sobre a venda da companhia e a terceirização de serviços prestados pelos escritórios de Lisboa, a favor de familiares do actual presidente da Comissão Executiva.

Numa nota designada “Voo DT Mudança 180º”, a presidente do Conselho de Administração, Ana Major, explica todo o processo em curso na companhia angolana de bandeira e sobre os resultados pretendidos com a implementação do modelo.

 

Sobre a venda da companhia, Ana Major disse, claramente, que não. A TAAG não foi vendida. É uma entidade SA (Sociedade Anónima) cuja estrutura accionista é composta pelo Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE), com 50 por cento, a Empresa Nacional de Navegação Aérea (ENNA), com 40 por cento e o Fundo Social dos Funcionários e Trabalhadores do Sector dos Transportes, que têm 10 por cento.

 

Apesar de ser do domínio público, disse a PCA, a intenção do Executivo de Angola é a privatização da TAAG dentro de um lote de outras companhias. Todavia, a concretização deste processo dependerá de várias condicionantes do contexto de mercado (volatilidade global no pós-pandemia) e do que nos cabe a todos fazer no sentido da valorização da companhia e dos activos. O processo de transformação e reestruturação da TAAG em curso visa valorizar a empresa no médio e longo prazo, sendo prematuro falar da venda.

 

 

 

Favorecimento a estrangeiros

 

Sobre a suposta entrega da empresa a estrangeiros, Ana Major nega tal possibilidade. Para a gestora, a TAAG é uma empresa com sede em Angola, e mais de 95 por cento da força de trabalho é angolana. Importa, todavia,  esclarecer, que a transportadora aérea é, igualmente, uma empresa internacional com aspirações de crescimento à escala global e implantada em diversas geografias.

 

Por outro lado, continuou, com o novo aeroporto e com a implementação dos acordos de “Céus Abertos”, à TAAG coloca-se num grande desafio de internacionalização e globalização para responder não apenas a privatização, mas também a competição agressiva que já se faz sentir. Como tal, aceita-se a diversidade e respeita-se todos os colaboradores expatriados e consultores, que, temporariamente, trabalham e contribuem para a reerguer a companhia, não pactuando, em razão disso, com expressões de xenofobia, racismo e discriminação de nenhuma forma.

 

 

 

Escritórios de Lisboa

 

Segundo Ana Major, a TAAG em Portugal não vai fechar, porém será mantido um núcleo mínimo e essencial de colaboradores na escala de Lisboa. A exemplo de outras escalas internacionais Espanha/Brasil/África do Sul, onde já se adoptou o modelo de agenciamento, também Lisboa irá adoptar o mesmo modelo em substituição de escritórios próprios, dando continuidade a sua operação no formato GSA (General Sales Agent) e com um mínimo de colaboradores. A escala de Lisboa será então gerida por uma entidade denominada “Summerwind GSA”. Estamos também a acautelar os direitos legais dos colaboradores e a tratar dos mesmos com a dignidade que merecem.

 

Questionada, na mesma nota, se a empresa está a entregar os escritórios de Lisboa a pessoas próximas ao actual presidente da Comissão Executiva, Eduardo Fairen Soria, de nacionalidade espanhola, Ana Major disse tratar-se de confusão pela semelhança de nomes, mas que tal afirmação não corresponde a verdade. Realçou que «Soria» é um nome muito comum em Espanha; como Silva, António ou Costa em Angola ou Portugal e que não existe nenhuma ligação familiar entre o presidente da Comissão Executivo – CEO da Summerwind, Federico Lledo Soria e o CEO da TAAG, Eduardo Fairen Soria.

 

Logo, a questão é: porquê a preferência pela Summerwind, o que a presidente do Conselho de Administração da TAAG resume ao facto de esta empresa contratada possuir mais de 25 anos de experiência nos domínios da representação de companhias aéreas e um registo de excelência quanto à qualidade de serviço e atendimento personalizado ao cliente. Este desempenho valeu-lhe já a confiança de mais de 15 companhias aéreas, enquanto clientes de diversos países do mundo incluindo na América latina, mercado onde a TAAG projecta crescimento.

 

 

Conheça as razões da opção ao modelo GSA

 

No centro de toda esta polémica à volta da TAAG está a adopção pela administração do formato “General Sales Agent – GSA”, traduzido por Agente Geral de Vendas na tradução livre.

 

De acordo com a PCA, Ana Major, ao analisar-se a estrutura de custos da TAAG, a administração diagnosticou que as escalas internacionais no modelo tradicional (escritório próprio + staff) eram bastante onerosas e pouco flexíveis para situações de crise (como a pandemia de Covid-19) ou a volatilidade do mercado, que é uma característica da fase pós-pandemia. Estudos mais recentes validaram, igualmente, que tendo em conta os custos e os benefícios, a me-lhor opção é a adopção do mo-delo de representação através de um GSA.

 

O modelo de GSA, explica, já foi aplicado com sucesso pela TAAG em outras geografias, nomeadamente no Brasil e África do Sul onde, a exemplo de Portugal, se mantém uma equipa mínima essencial da TAAG.

 

O modelo GSA demonstra ser o formato mais eficiente, com maior economia de custos e mais ágil para lidar com volatilidade actual de mercados externos.

 

A implementação deste modelo tem trazido resultados bastante positivos ao nível do desenvolvimento do negócio, entre os quais, maior volume de receitas, mais atractividade comercial nas escalas e mais eficiência no atendimento ao cliente.

 

 

Despedimentos de pessoal  e relação com sindicato

 

Quanto aos despedimentos, a TAAG declara, mais uma vez, que não está a despedir pessoal, tão pouco Pessoal Navegante de Cabine (PNC). Existem, contudo, disse Ana Major, alguns poucos colaboradores – PNC sem vínculo permanente. Ou seja, com contrato de trabalho por tempo determinado, tendo estes contratos atingido a data de término, não foram os mesmos renovados, à luz da legislação em vigor e com o devido aviso prévio. Tal não significa que os mesmos não possam ser reintegrados no futuro quando a operação crescer e assim se justificar.

 

“A administração é chamada a  tomar medidas de gestão alinhadas com as boas práticas. Não faria sentido num momento em que temos que optimizar o quadro de pessoal da empresa renovar contratos temporários”, disse.

 

Ana Major assume, por outro lado, que a administração da TAAG está aberta a receber todas as forças sindicais e mantém firme o compromisso com uma escuta activa das preocupações dos colaboradores. Para tal, foi criada na direcção de capital humano uma área de relações laborais para equacionar as questões imediatas e correntes e o director de recursos humanos iniciou já contactos regulares com os sindicatos nesse âmbito, tendo reunido pelo menos duas vezes com o Sindicato do Pessoal Navegante de Cabine (SINPROPNC), durante o mês de Julho.

 

 

Substituição de frota e entrada da companhia HiFly

 

A TAAG celebrou, recentemente, um acordo ACMI  Aircraft, Crew, Maintenance and Insurance (Avião, Tripulação, Manutenção e Seguro). Trata-se do típico contrato operacional em que uma empresa disponibiliza a outra todos os meios para a realização do voo.

 

Com a companhia aérea HiFly, a TAAG acordou um regime de “leasing” de Airbus A330 por períodos de curto-prazo (passível de renovação) de forma a assegurar a continuidade da operação e o plano de crescimento previsto (mais frequências e maior disponibilidade de aeronaves), na mesma medida em que trabalhos de manutenção que deveriam ter sido devida e antecipadamente planeados estão a decorrer agora com parte da frota Boeing. Este tipo de acordo, segundo a gestora, foi o formato mais ágil, célere, e “chave-na-mão” para responder de imediato à necessidade emergente de ter-se aeronaves disponíveis num período de pico no mercado.

 

O aluguer de Boeing 773 foi também considerado. O processo de aluguer iria ser mais moroso em termos de tempo, pois os aviões seriam entregues em “dry lease” (sem tripulação incluída) contando para o efeito com as tripulações da TAAG. Porém isso faria com que perdessemos oportunidades durante o pico do verão. Assim, e como as necessidades eram imediatas, avançamos pelo formato de “wet lease” até porque, se trata de aluguer de curta duração e com preço competitivo.

 

“A TAAG celebrou um acordo comercial com a ALC (Air Lease Corporation) para a disponibilização de seis (6) aeronaves Airbus A220-300 com entregas faseadas a partir de Agosto de 2023. A operação dessas aeronaves Airbus A220-300 contará exclusivamente com pilotos e pessoal de cabine angolano, bem como, a gestão da manutenção será feita por equipas locais”, explica.

 

 

SEIS PROVÍNCIAS

11 novos voos reforçam rotas domésticas

 

As Linhas Aéreas de Angola (TAAG) adicionaram, desde o dia 23, nas rotas domésticas, 11 novos voos, com saídas de Luanda para as cidades de Catumbela (Benguela), Lubango (Huíla), Dundo (Lunda-Norte), Luena (Moxico), Huambo e Cunene com ligações asseguradas pelas aeronaves Dash 8 Q400.

 

A transportadora de bandeira nacional justifica o reforço, em comunicado, devido ao registo de um crescimento sustentado no segmento doméstico reflectido numa maior mobilidade e interesse de passageiros particulares e corporativos nas deslocações dentro do território angolano.

 

Os voos adicionais entraram nas rotas Luanda/Catumbela a frequências semanal passou de 4 para 7 voos; Luanda/Lubango (4 para 6); Luanda/Dundo (4 para 5); Luanda/Luena (4 para 5 voos); Luanda/Ondjiva (2 para 4); Luanda/Huambo (2 para 4 voos).

 

Uma referência especial para a rota Luanda/Cabinda um dos destinos domésticos de maior procura por parte dos passageiros, onde aproximadamente 90 por cento dos voos serão operados por uma aeronave tipo Boeing 737-700.

 

“Significa que 23 dos 26 voos semanais para Cabinda são realizados num avião de maior porte, o modelo B737 (transporta 120 passageiros no total) de forma a responder ao elevado volume de passageiros e carga em trânsito entre Luanda e Cabinda”, indica o comunicado.

 

Para a TAAG, a aposta nas conexões internas irá proporcionar aos passageiros mais opções de ida/regresso, “permitindo aos viajantes uma estadia mais prolongada naquelas províncias com impacto positivo para a economia local, nomeadamente ao nível da hotelaria, turismo, serviços ou prospecção de negócios”.

 

 

 

Aposta forte

 

Fundada em 1938, agora com 84 anos, a TAAG lidera o mercado de aviação em Angola, disponibilizando actualmente 14 destinos domésticos e 12 destinos internacionais.

 

Além do transporte de passageiros, a sua frota realiza igualmente transporte de carga, um serviço cada vez mais essencial para o desenvolvimento do ecossistema local.

 

Data de Emissão: 31-08-2022 às 07:30
Economia Sem Makas, edição de 30 de Agosto de 2022

– Balanço das eleições de 24 de Agosto de 2022, onde participaram o MPLA, UNITA, PRS, FNLA, APN, PH e P-Njango) e uma coligação (CASA-CE).

 

Só comissários do MPLA e da FNLA aprovaram acta dos resultados. Reações dos Estados Unidos da America  e União Europeia.

 

 

Data de Emissão: 30-08-2022 às 07:30
Género(s): Opinião
Tópicos(s): CNEEleições Gerais 2022
Economia Sem Makas, edição de 29 de Agosto de 2022

– Balanço das eleições de 24 de Agosto de 2022, onde participaram o MPLA, UNITA, PRS, FNLA, APN, PH e P-Njango) e uma coligação (CASA-CE).

– Resultados provisórios das Eleições ( Actas, método Hondt é um modelo matemático utilizado para converter votos em mandatos com vista à composição de órgãos de natureza colegial)

 

 

 

Data de Emissão: 29-08-2022 às 08:00
Género(s): Opinião
Tópicos(s): CNEEleições Gerais 2022
Econimia Sem Makas, edição de 26 de Agosto de 2022

Resultado das Eleições em Angola

Resultados provisórios: MPLA vence eleições gerais com 51,7 por cento dos votos

Quando faltam apenas 2,7 por cento das mesas por apurar, o MPLA mantém-se à frente da contagem de votos com 51,7 por cento, o permite eleger 124 deputados, seguido da UNITA (oposição) com 44,5 por cento, o equivalente a 90 deputados.

De acordo com a segunda e última actualização do dia de hoje, feita pelo porta-voz da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), Lucas Quilundo, o PRS, FNLA e PHA conseguem eleger dois deputados cada, enquanto CASA-CE, APN e P-JANGO sem hipótese de eleger deputados. 

Data de Emissão: 26-08-2022 às 08:00
Género(s): Opinião
 
Economia Sem Makas, edição de 25 de Agosto de 2022

– Balanço das eleições de 24 de Agosto de 2022, onde participaram o MPLA, UNITA, PRS, FNLA, APN, PH e P-Njango) e uma coligação (CASA-CE).

 

 

Data de Emissão: 25-08-2022 às 07:30
Género(s): Opinião
Tópicos(s): CNEEleições Gerais 2022
Economia Sem Makas, edição de 22 de Agosto de 2022

– Balanço campanha eleitoral

– Salários BNA

– Petróleo aos níveis da pré-invasão da Ucrânia 

– RDC e Banco Africano desenvolvimento discutem Corredor rodoviário com Angola

Data de Emissão: 22-08-2022 às 08:00
Econimia Sem Makas, edição de 18 de Agosto de 2022
Data de Emissão: 18-08-2022 às 07:30
Género(s): Opinião
Tópicos(s): Cimeira do AmbienteCOP26
Economia Sem Makas, edição de 16 de Agosto de 2022

Desemprego baixou 0,6pontos percentuais no segundo trimestre de 2022 de 30,8% para 30,2%

Data de Emissão: 16-08-2022 às 07:30
Género(s): Opinião
Tópicos(s): Cimeira do AmbienteCOP26
Economia sem makas, edição de 15 de Agosto de 2022

[ ] Inflação volta a descer em Julho

[ ] Congelamento das propinas de fenprof aplaude

[ ] Balanço BAI 2 meses de bolsa

[ ] Quebra das RIL

[ ]  Campanha eleitoral

[ ] Debate programas económicos

Data de Emissão: 15-08-2022 às 08:00
Economia sem makas, edição de 12 de Agosto de 2022

A edição angolana do global management challange um jogo que simula a gestão de uma empresa virtual

Data de Emissão: 12-08-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia se macas, edição de 10 de Agosto de 2022

BNA criou novas regras para atribuição de Cartão de Credito

Data de Emissão: 10-08-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioEconomiaEntrevista
 
Economia sem macas, edição de 11 de Agosto de 2022

Crédito à habitação do aviso do BNA. Dois meses depois há muitas solicitações de informação poucos pedidos de crédito entrados diz o Expansão

Data de Emissão: 10-08-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioEconomiaEntrevista
 
Economia sem macas, edição de 08 de agosto de 2022

A Banca Angolana perde mais de 2,5 mil empregos em 5 anos

Data de Emissão: 08-08-2022 às 08:00
Género(s): EconomiaEntrevista
 
Economia sem macas, edição de 05 de Agosto de 2022

O petróleo afundou mais de 10% esta semana penalizado pelas preocupações sobre uma recessão global

 

 

Data de Emissão: 05-08-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia sem macas, edição de 03 de Agosto de 2022

Os angolanos da diáspora mandaram 12,7 milhões para Angola em 2021. Já os estrangeiros em Angola mandara 624 milhões para os seus países

 

 

Data de Emissão: 03-08-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
Tópicos(s): Banco MundialPIB
Economia sem macas, edição de 04 de Agosto de 2022

 Economia do mar ou azul.

Os problemas dos agentes económicos no mar são os mesmos que em terra

No seguimento da conferência da Revista Economia e Mercado sobre o Mar

 

 

Data de Emissão: 03-08-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
Tópicos(s): Catamarã
Economia sem macas, edição de 01 de Agosto de 2022

O desempenho das empregas públicas em 2021, através do IGAPE

Empresas Públicas saem de prejuízos para lucros de 1,2 biliões Kz em 2021

As maiores contribuições saíram do sector dos recursos minerais e petróleo. Com 1,34 biliões Kz, a Sonangol foi a empresa que mais lucrou, seguindo-se a Endiama e a Angola Telecom. Juntas, formam o top 3 das empresas públicas que mais lucram em 2021. Se por um lado, temos os três maiores resultados, por outro, o gigante público BPC, a companhia aérea de bandeira nacional TAAG e a ENDE, apresentaram os maiores prejuízos. Quanto aos subsídios à exploração pagos pelo Estado, TPA, RNA e Edições Novembro são os que mais se beneficiaram no ano passado.

– Promessa do aumento do salário minino nas eleições gerais de 2022 pelos partidos politicos : 

-O Comité de Política Monetária (CPM) do Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu, esta quinta-feira (29), manter a taxa básica de Juro (Taxa BNA) em 20%, persistindo numa política monetária restritiva para segurar a inflação, no segundo encontro fora de Luanda

Avaliação dos primeiros dias de campanha política das eleições gerais de 2002

PHA, Partido Humanista de Angola,Partido Ndjango, UNITA, FNLA, CASA-CE,APN, PRS, MPLA

 

 

 

Data de Emissão: 01-08-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
Tópicos(s): BNAIGAPEJosé de Lima Massano
Economia sem macas, edição de 29 de Julho de 2022

Economia americana voltou a recuar no segundo trimestre aumentando os riscos de recessão

 

 

Data de Emissão: 29-07-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia sem macas, edição de 02 de Agosto de 2022

 TAAG perdeu 296 milhões usd em 2021 elevando para quase mil e cem milhões usd prejuízos dos últimos cinco anos

 

 

Data de Emissão: 29-07-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia sem macas, edição de 28 de Julho de 2022

O Regresso da Sonangol aos Lucros.

Data de Emissão: 28-07-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia sem macas, edição de 27 de Julho de 2022

As empresas de comunicação social receberam no ano passado subsídios de 26,3 mil milhões Kz ou 42 milhões usd

Data de Emissão: 27-07-2022 às 08:00
Género(s): Entrevista
 
Economia sem macas, edição de 26 de Julho de 2022

A CGE de 2020 que devia ter sido discutida em Junho só deverá ser discutida no segundo trimestre do próximo ano

Data de Emissão: 26-07-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
 
Economia se macas, edição de 25 de Julho de 2022

O segundo resgate do Económico, antigo BESA

[ ] BNA estuda aumento capital dos bancos

[ ] Não aceitação de moedas pelos comerciantes 

[ ] Economia cresce acima dos 3% até 2025

[ ] Cobertura eleições comunicação social

Data de Emissão: 25-07-2022 às 10:00
Género(s): ComentárioEconomiaEntrevista
 
Economia sem macas, edição de 22 de Julho de 2022

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta quinta-feira (21) que elevou a principal taxa de juros da zona do euro em 0,5 ponto percentual, iniciando com isso um ciclo de alta para conter níveis recordes de inflação. Com isso, a taxa de depósito passa a ser de 0%, ante -0,5% anteriormente.

 

Em junho, a inflação da região, formada por 19 países, atingiu o maior valor da história, com um acumulado de 12 meses de 8,1%. Desse total, quase metade está ligada a preços recordes de energia.

 

O banco central havia sinalizado em junho que faria uma elevação de 0,25 p.p., mas muitos investidores defendiam que o BCE precisaria ser mais agressivo na elevação, defendendo um aumento de 0,5 p.p. Alguns dirigentes da autarquia, considerados mais linha dura, também defenderam o movimento.

 

O BCE busca equilibrar um esforço de combate à inflação via taxa de juros sem, entretanto, estabelecer níveis que desacelerariam excessivamente a economia, jogando a zona do euro em uma recessão.

Data de Emissão: 22-07-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaEntrevista
 
Economia sem macas, edição de 21 de Julho de 2022

Inauguração das centrais fotovoltaicas em Benguela

Data de Emissão: 21-07-2022 às 00:08
Género(s): ComentárioEconomiaEntrevista
 
Economia sem macas, edição de 20 de Julho de 2022

Ministério dos Transportes confirma atribuição do corredor  do Lobito a consórcio europeu

Data de Emissão: 20-07-2022 às 00:08
Género(s): DebateEconomiaEntrevista
 
Economia sem macas, edição de 19 de Julho de 2022

Angola quer ser dos maiores produtores de grãos em África e até do mundo

Data de Emissão: 19-07-2022 às 00:08
Economia sem macas, edição de 18 de Julho de 2022

[ ] Os dinheiros das eleições e dos partidos

[ ] Angola entre os 12 países do mundo com maior risco de não pagar as dívidas  

[ ] Euro abaixo do dólar 

[ ] Cobertura eleições comunicação social

Data de Emissão: 18-07-2022 às 00:08
Género(s): EconomiaEntrevista
 
Economia sem macas, edição de 13 de Julho de 2022

 A inflação voltou a baixar em Junho e está agora nos 23% nos mínimos de dois anos

Índice de preços no consumidor (IPC)

Data de Emissão: 13-07-2022 às 07:30
Economia sem macas, edição de 14 de Julho de 2022

 redução do horário de trabalho da função pública da e do pagamento antecipado dos salários

Data de Emissão: 13-07-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
Tópicos(s): Eleições Gerais 2022INSSMPLA
Economia sem macas, edição de 15 de Julho de 2022

 a propósito da publicação de uma nova lei para o sector de seguros

A proposta de Lei da Actividade Seguradora e Resseguradora passou, por unanimidade, nesta quarta-feira, 19 de Maio, pelo crivo dos Deputados à Assembleia Nacional, após discussão e votação na generalidade.

Com a presente proposta de Lei, pretende-se regular as condições de acesso à actividade seguradora e resseguradora, as condições de exercício da actividade, as vicissitudes no exercício das mesmas, a institucionalização da figura do micro-seguro, as medidas de recuperação das empresas de seguros e de resseguros em situação financeira insuficiente, a liquidação de empresas de seguros e de resseguros, assim como o regime de supervisão e regulação, onde se destaca o papel preponderante do organismo de supervisão da actividade seguradora e o regime sancionatório substantivo.

Ao falar ao Plenário sobre as vantagens da referida proposta, o Secretário de Estado para as Finanças e Tesouro, Ottoniel dos Santos esclareceu que os pontos expressos no documento estão alinhados às melhores práticas internacionais no sector.

“A presente proposta de Lei da Actividade Seguradora e Resseguradora visa atingir, na esteira dos melhores princípios e práticas internacionais da Associação Internacional dos Supervisores de Seguros (IAIS) e do Comité de Seguros, Valores Mobiliários e Instituições Financeiras Não-Bancárias da África-Austral (CISNA), dois principais objectivos que passam pela protecção dos tomadores de seguros, segurados e beneficiários e ainda a prevenção e repressão de actuações contrárias à lei”, disse.

Adiantou, de igual modo, que a mesma está estruturada em oito títulos, nomeadamente o título I, referente às disposições gerais, e que está subdividido em três capítulos, em que se disciplinam a delimitação do (i) objecto e do (ii) âmbito de aplicação, bem como (iii) a exclusão das mútuas de seguros, por inexistência de iniciativas do género.

Integra ainda o título II, referente ao acesso à actividade seguradora, subdividido em dois capítulos, onde se destacam (i) o reforço dos poderes de supervisão da ARSEG, outrora concentrados no Ministro das Finanças, com realce para os poderes para aprovação dos actos e concessão de autorizações, bem como para efectuar os registos previstos na lei; e, (ii) a instituição de regras mais claras e precisas de modo a promover a efectiva observância do princípio da gestão distinta no quadro da exploração cumulativa da actividade do seguro directo e do resseguro do ramo «Vida» com a do seguro directo e do resseguro do ramo «Não Vida».

O título III, referente às condições de exercício da actividade seguradora, integra seis capítulos, em que se destacam (i) as inovações no domínio da governação corporativa, mediante a obrigatoriedade do registo de pessoas com funções relevantes, bem como a definição de funções de controlo interno, nomeadamente as funções de compliance, auditoria interna e actuarial; bem como (ii) as inovações no domínio das garantias financeiras, com a introdução de novos elementos a considerar no cálculo da margem de solvência, bem como introdução de outras provisões técnicas para garantir a robustez das empresas de seguros face aos compromissos assumidos;

Por seu turno, o título IV, referente às vicissitudes no exercício da actividade seguradora e resseguradora, é composto por 03 (três) capítulos, em que se destacam as principais alterações a que as empresas de seguro e de resseguro estão sujeitas, nomeadamente a transformação e transferência de carteira, aquisição e diminuição de participações, bem como a revogação da autorização de constituição das empresas de seguros e de resseguros;

Já o título V, referente à recuperação e liquidação de empresas de seguro, é composto por dois capítulos, onde se destacam (i) as competências da ARSEG em face de eventual insuficiência das garantias financeiras; e (ii) a previsão de normas substantivas específicas, acompanhadas de um regime processual específico para a liquidação de empresas de seguros, com a criação da garantias creditórias específicas para o cumprimento de obrigações perante os credores que sejam tomadores de seguros;

Ao passo que o título tulo VI, faz referência ao micro-seguro, composto por quatro capítulos, cujo principal destaque consiste no facto de introduzir o exercício da actividade seguradora voltada para a protecção de pessoas e bens mediante seguros destinados à população de baixa renda, dando corpo ao objectivo de inclusão financeira no sector dos seguros;

A estes, junta-se ainda o título VII, referente ao regime sancionatório substantivo, constituído por 02 (dois) capítulos, sendo o primeiro referente aos ilícitos penais e o segundo referente aos ilícitos transgressionais, em que se destaca a sua classificação em: (i) transgressões simples; (ii) transgressões graves; e (iii) transgressões muito graves, aplicáveis a pessoa singular ou colectiva; e por último, o título VIII,  referente às disposições finais e transitórias, onde se destacam os regimes transitórios referentes àquelas matérias que, pela sua complexidade, impõem que seja dado um prazo adequado às nossas empresas para que se adaptem ao novo paradigma imposto.

“Importa sublinhar que o presente diploma resulta de um conjunto de consensos conseguidos no quadro de um amplo processo de consulta pública, no âmbito qual, foram recolhidos contributos do Banco Mundial, Banco Nacional de Angola, Comissão do Mercado de Capitais e Associação das Seguradoras Angolanas, entre outros importantes stakeholders do sector”, conclui o Secretário de Estado para as Finanças e Tesouro.

Em função da aprovação e entrada em vigor da presente Lei, será revogada a Lei n.º 1/00, de 03 de Fevereiro, Lei da Actividade Seguradora, bem como outros normativos, nomeadamente, o Decreto n.º 7/02, de 09 de Abril; o Decreto Executivo n.º 6/03, de 24 de Janeiro; o Decreto Executivo n.º 74/07, de 29 de Junho e o Decreto Executivo n.º 464/16, de 01 de Dezembro.

A semelhança do que acontece com a Lei n.º 1/00, de 03 de Fevereiro, a presente proposta de lei absorve integralmente os aspectos constantes da regulamentação acima referida e ajusta os respectivos institutos jurídicos.

Por outro lado, em virtude da alteração do figurino constitucional em 2010, os referidos diplomas passaram a constituir matérias de reserva de lei.

 “ARSEG – Supervisão Credível, Protecção Garantida, Angola Segura“

Data de Emissão: 13-07-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
Tópicos(s): Eleições Gerais 2022INSSMPLA
Economia sem macas, edição de 12 de Julho de 2022

Guerra na Ucrânia tem duro impacto na África, trazendo risco de aumentar fome e instabilidade social, alertam FMI e ONU

Aumento do preço de alimentos gerado pela invasão russa enfraquece a recuperação econômica da África Subsaariana, o que deve elevar taxas de pobreza e aumentar o número de pessoas sem ter o que comer

Data de Emissão: 12-07-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioDebateEntrevistaOpinião
 
Economia sem makas, edição de 11 de Julho de 2022

BAI fez apenas 9 negócios e subiu 30% em 1 mês de bolsa

 O ministro da Energia e Água, João Baptista Borges confirma que energia vai subir

Filipe Zau ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, alerta para fragilidades do sector nos seis anos da AHRA

 Morte do ex-presidente José Eduardo dos Santos  e a cobertura da comunicação social

Data de Emissão: 11-07-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioEconomiaOpinião
Tópicos(s): OPEP
Economia sem makas, edição de 08 de Julho de 2022

 

Data de Emissão: 08-07-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaEntrevistaOpinião
Tópicos(s): OPEP
Economia sem makas, edição de 07 de Julho de 2022

Vamos falar do petróleo quebrada a negociar abaixo dos 100 dólares com receios de recessão

Petróleo cai 10% com temor de recessão e alta do dólar

Investidores permanecem atentos à relação oferta e demanda

Os contratos futuros de petróleo recuaram, nesta quarta-feira (6). A commodity chegou a mostrar recuperação modesta, após forte perda na sessão anterior, mas sem impulso, com dúvidas sobre a demanda futura diante dos riscos de recessão global.

O petróleo WTI para agosto fechou em queda de 0,97% (-US$ 0,97), em US$ 98,53 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para setembro caiu 2,02% (-US$ 2,08), a US$ 100,69 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

A força do dólar também colaborou para pressionar o petróleo, que neste caso fica mais caro para os detentores de outras moedas. Além disso, a perda de fôlego econômica global influencia as perspectivas para a demanda. Segundo a High Frequency Economics, a forte queda recente nos preços reflete temores de uma recessão por parte de operadores.

 

Data de Emissão: 07-07-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaEntrevistaOpinião
Tópicos(s): OPEP
Economia sem makas, edição de 06 de Julho de 2022

TEMA : EPAL e da falta de água em Luanda a propósito da entrevistas do PCA Manuel Cruz à TPA

Data de Emissão: 06-07-2022 às 07:30
Economia sem makas, edição de 05 de Julho de 2022

Segundo a ONU, atualmente 55% da população mundial vive em áreas urbanas e a expectativa é de que esta proporção aumente para 70% até 2050.

Este crescimento coincide com um período em que muitos países estão implementando processos de políticas descentralizadas. Isso estaria resultando num aumento das responsabilidades de governos locais.

Neste contexto, cidades estariam tendo que assumir papeis mais ativos ao contribuir com as iniciativas de governos nacionais para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODSs.

 

Desenvolvimento econômico

Agência ONU-Habitat vê momento crítico para debate com desafios como pandemia, clima e conflitos; levantamento aponta que centros urbanos devem abrigar 68% da população global até 2050; secretário-geral da ONU quer apoio para que cidades possam zerar emissões de gases de efeito estufa e serem mais inclusivas.

 

O Fórum Urbano Mundial, evento bianual convocado pelo Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos. ONU-Habitat, começou neste domingo em Katowice, na Polônia.

 

Segundo a agência, este é um momento crítico para o desenvolvimento urbano e a reunião levará um apelo para que os participantes dobrem os esforços para enfrentar os desafios apresentados às cidades por conflitos, pandemia e emergência climática.

 

Participantes do Fórum Urbano Mundial realizado em Katowice, Polônia.UN Habitat

Participantes do Fórum Urbano Mundial realizado em Katowice, Polônia.

Cidades no centro dos desafios atuais

Em mensagem de vídeo, o secretário-geral da ONU, António Guterres, agradeceu a solidariedade do país na recepção dos refugiados ucranianos.

 

O programa foi significativamente modificado para refletir o conflito no país vizinho. Mais de 3 milhões de ucranianos se refugiaram na Polônia desde o início da guerra.

 

Para Guterres, as cidades são centrais para “praticamente todos os desafios que enfrentamos” atualmente. E à medida que o mundo busca se recuperar da crise de saúde, será necessário considerar a igualdade de gênero na promoção de infraestrutura e serviços urbanos para dar a todas as pessoas, especialmente jovens, mulheres e meninas, acesso a um futuro melhor.

 

Ele lembra que os centros urbanos geram mais de 80% do PIB global, mas também são responsáveis por 70% das emissões de gases de efeito estufa e, assim, devem ser líderes de ação climática para manter a meta de 1.5oC ao alcance.

 

O secretário-geral afirmou que muitas cidades do mundo todo estão se comprometendo em zerar as emissões de gases de efeito estufa até 2050 ou antes, no entanto, ele acredita que elas precisam de apoio mais coordenado de todos os níveis de governo, bem como parcerias o setor privado e a sociedade civil.

 

Densidade populacional

O ONU-Habitat estima que a população global vivendo em áreas urbanas deve aumentar de 56% para 68% até 2050, principalmente na África e no Oriente Médio.

 

Para a subsecretária-geral da ONU e diretora executiva da agência Maimunah Mohd Sharif, embora a realidade atual seja muito desafiadora, “devemos manter nosso foco e dobrar nossos esforços no desenvolvimento sustentável”.

 

Ela acredita que “um futuro melhor continua sendo possível” e que já existem roteiros para chegar lá, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, Nova Agenda Urbana e o Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas.

 

A chefe da agência pediu “ação real” para implementar esses compromissos, e como um novo contrato social que inclua renda básica universal, cobertura de saúde e moradia acessível.

 

Evento

O Fórum Urbano Mundial segue até dia 30 de junho e é coorganizado com o governo da Polônia e a cidade de Katowice.

 

O local foi escolhido para a primeira realização do evento na Europa Oriental, em grande parte devido à transição bem-sucedida de um centro das indústrias de carvão e aço para uma cidade tecnológica e cultural.

 

Segundo o ONU-Habitat, mais de 16 mil pessoas são esperadas no Centro Internacional de Congressos, construído em uma antiga mina de carvão.

 

Entre os participantes estão mais de 50 ministros e vice-ministros do governo, mais de 800 funcionários e representantes do governo, além de 400 palestrantes em dezenas de eventos discutindo e elaborando políticas e soluções inovadoras.

 

Os cinco dias do Fórum devem terminar com as Ações Declaradas de Katowice, um compromisso e plano de apoio a urbanização.

 

O documento deve ser construído por representantes do governo, sociedade civil, setor privado e partes interessadas na Nova Agenda Urbana, um roteiro para a urbanização sustentável adotado em 2016 em Quito

Data de Emissão: 05-07-2022 às 07:30
Economia sem makas, edição de 04 de Julho de 2022

[ ] Porto do Lobito atribuído a consórcio europeu
[ ] Contas Nacionais economia cresce pelo quarto trimestre consecutivo
[ ] Investimento estrangeiro em queda
[ ] Despedimentos no BCI
[ ] Cobertura das eleições

Data de Emissão: 04-07-2022 às 08:00
Economia sem makas, edição de 01 de Julho de 2022

Governo criou cerca de 490 mil empregos dos 500 mil previstos alcançando 98 por cento das previsões .

 

Ministra Teresa Dias garantiu que o Executivo vai reforçar políticas que visam a empregabilidade © Fotografia por: Arimateia Baptista | Edições Novembro| Huíla

Teresa Rodrigues Dias, que falava durante o Conselho Consultivo do MAPTSS, testemunhado pelo governador da Huíla, Nuno Mahapi Dala, disse que os números alcançados representam 98 por cento, dos 500 empregos previstos pelo Executivo.

 

Na presença dos secretários de Estado do sector, a ministra Teresa Rodrigues Dias reconheceu que, por causa da pandemia da Covid-19 e da situação financeira das empresas, pelo menos 271.562 cidadãos perderam os postos de trabalho, entre 2019 e 2020.

 

Mas, a responsável ministerial realçou que os esforços do Executivo permitiram conservar um total de 219.206 postos de trabalho e manter a retoma em função da economia. Quanto ao Conselho Consultivo, procedeu-se ao balanço das actividades do Ministério, no âmbito das metas estabelecidas pelo Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022, tendo concluído que foram cumpridos 17 dos 21 objectivos previstos, o que representa 81% de execução.

 

Quanto aos efectivos da Função Pública, Teresa Rodrigues Dias avançou que, em 2018, estavam contabilizados 398.815 funcionários, números que estão, actualmente, em 400.024 trabalhadores.

Data de Emissão: 01-07-2022 às 07:30
Economia sem makas, edição de 30 de Junho de 2022

Pagamentos do Impostos sobre os veículos Automóveis

O Imposto sobre os Veículos Motorizados (IVM) foi aprovado pela Lei n.º 24/20, de 13 de Junho, que revogou a Taxa de Circulação – aprovada pelo Diploma Legislativo n.º 3837, de 30 de Julho de 1968.
Estão sujeitos ao IVM os veículos motorizados, designadamente, os automóveis ligeiros e pesados, motociclos, ciclomotores, triciclos e quadriciclos, bem como as embarcações e as aeronaves.
Todos os veículos motorizados, isentos ou não, devem estar cadastrados. Para os veículos não isentos, o pagamento do imposto deve ocorrer no período de Janeiro a Junho de cada ano, independentemente da viatura estar ou não em circulação.

0 IVM é pago, voluntariamente, no período de 1 de janeiro até ao último dia útil do mês de Junho.

Data de Emissão: 30-06-2022 às 07:30
Economia sem makas, edição 29 de Junho de 2022
A moeda nacional de Angola, o kwanza, ganhou 23% à moeda norte-americana este ano, com um dólar a valer 554,9 kwanzas a 1 de janeiro e a melhorar para 449,8 no final de março e foi a moeda mais valorizada em África

De acordo com a análise feita aos câmbios oficiais do kwanza, a moeda nacional de Angola tem-se valorizado consistentemente desde o início do ano, impulsionada pela subida dos preços do petróleo e motivando diversas implicações positivas nos indicadores económicos de Angola.

Para o governador do Banco Nacional de Angola, o valor atual a rondar os 450 kwanzas por dólar está equilibrado: “Temos estado a assistir a um aumento na confiança na moeda, gerando consideráveis ganhos para o kwanza”, disse José Lima Massano, em declarações à agência de informação financeira Bloomberg em meados de março.

“O equilíbrio do kwanza foi reposto”, considerou o governador, referindo-se à diferença que existia entre a cotação do kwanza no mercado formal e no informal, com diferenças que podiam ir até 150%, mas que agora estão praticamente anuladas.

O kwanza está a ganhar valor devido à melhoria da previsão de evolução da economia de Angola, o segundo maior produtor de petróleo na África subsaariana, e à liberalização parcial da taxa de câmbio, argumentou o governador, referindo-se à medida tomada em 2018 e que, na prática, desindexou o kwanza ao dólar, o que causou nos anos seguintes uma depreciação de “mais de 80%”.

A medida, disse Massano, era necessária para eliminar “grandes disfuncionalidades e desequilíbrios no mercado cambial angolano”, mas teve como efeito a perda do poder de compra e a subida do rácio da dívida pública face ao PIB, já que uma boa parte da dívida de Angola foi emitida em dólares.

Além do fortalecimento do kwanza face ao dólar nos últimos trimestres e do aumento das receitas fiscais por via do aumento do preço do petróleo, “os consumidores também estão a ser beneficiados pela decisão do Governo, em outubro de 2021, de cortar a taxa de IVA dos bens essenciais de 14% para 7%”, apontam os analistas da Oxford Economics Africa numa nota recente sobre a evolução da moeda angolana.

A economia de Angola saiu da recessão de cinco anos em 2021, crescendo 0,7%, segundo o Instituto Nacional de Estatística de Angola, e deverá crescer 3% este ano, de acordo com a previsão do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Data de Emissão: 29-06-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomiaInformativo
 
Economia sem makas, edição 28 de Junho de 2022

 

 

Joe Biden anuncia implantação de sistema fotovoltaico em Angola

O presidente dos Estados Unidos da América, Joe Biden, anunciou, este domingo, em Elmau, Alemanha, a implantação de sistemas de produção de energia fotovoltaica em Angola.

 

O programa faz parte de uma parceria público-privada, anunciada pelo Estadista Americano, Joe Biden, à margem da cimeira do G7, que decorreu na Alemanha.

 

A parceria prevê a mobilização de dois mil milhões de dólares em capital público e privado, como doações, investimento federal e do sector privado, nos próximos cinco anos, para a construção de infra-estruturas e investimentos globais em todo o mundo.

 

Alguns projectos iniciais anunciados hoje incluem, também, a tecnologia solar em zonas rurais em Angola, a fabricação de vacinas no Senegal e um cabo submarino de telecomunicações ligando Cingapura à França, passando pelo Egito e pelo Chifre de África.

 

Hoje, Biden, ao lado dos líderes do G7, disse que os programas de investimento em infra-estruturas voltado para países de baixa e média renda, visa oferecer melhores opções para que os governos ao redor do mundo invistam em infra-estruturas que melhorem as vidas das populações, proporcionando ganhos reais para todos “e não apenas para o G7”.

 

Os Estados Unidos da América e Angola estabeleceram relações diplomáticas formais em 1993, com sector da Energia no centro das relações entre os dois países.

 

 

Desde 2002, os objectivos da política externa dos Estados Unidos da América em Angola têm sido a promoção e o fortalecimento das instituições democráticas, promover a prosperidade económica, melhorar a saúde, bem como consolidar a paz e a segurança.

 

O Presidente dos Estado Unidos da América, Joe Biden, destacou este domingo, 26 de Junho, o investimento na área da energia solar em Angola, no valor de 2 mil milhões de dólares. Joe Biden falava na Cimeira dos G7, que está a decorrer na Alemanha.

 

Joe Biden destaca, na Cimeira do G7, investimento americano em Angola

De referir que, o G7 , que junta os países mais industrializados do mundo, quer avançar com um programa de investimentos para países em desenvolvimento, e mobilizar 600 mil milhões de dólares em resposta aos imensos projectos financiados pela China.

Data de Emissão: 28-06-2022 às 07:30
Edição de 27 de Junho 2022
 

Recredit como está a recuperação do credito malparado do BPC

 

Recredit já recuperou 12,8% do valor de aquisição do crédito malparado do BPC

Até ao momento, são cerca de 37 mil milhões de Kz que a gestora de activos recuperou do seu investimento de 288 mil milhões de Kz, na compra do malparado do maior banco público.

 

Aviso BNA informação pública dos bancos 

 

Aviso BNA remessas para o exterior 

Um novo Instrutivo do Banco Bacional de Angola (BNA), determina um novo limite máximo mensal de cinco mil dólares americanos mensais por cada ordenador, para o envio de moeda para o exterior do país, mas para as remessas recebidas do exterior do país não estão sugeitas a limites.

 

Sobre operações cambiais, o instrutivo nº 06/2022, assinado pelo Governador José Massano, limita também a 5 mil dólares às operações de venda de moeda estrangeira em notas ou para o carregamento de cartões pré-pagos, por viajante residente cambial maior de 18 anos, por mês, podendo ser entregue ao cliente em notas ou carregado num cartão pré-pago.

 

Gestão do tempo de antena na TPA em pré campanha politica

Data de Emissão: 27-06-2022 às 08:00
Edição de 24 de Junho de 2022
 

O Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado angolano (IGAPE) pôs fim à privatização de 51% da seguradora ENSA por concurso e vai avançar para a alienação de acções em bolsa

Data de Emissão: 24-06-2022 às 07:30
Género(s): Economia
 
Edição de 23 de Junho de 2022
 

 

O Grupo de Prevenção e Branqueamento de Capitais da África Oriental e Austral está no   nosso país, para uma avaliação do sistema financeiro angolano.

 Um total de 15 especialistas de Portugal, EUA, Botsuana, Moçambique, Maláui, Lesoto, Namíbia, Etiópia, Zimbabué, África do Sul, Tanzânia  e Quénia integram a equipa de avaliação, que tem agendados encontros com várias instituições angolanas, entre elas a Unidade de Informação Financeira.

A avaliação mútua do sistema financeiro angolano vai decorrer entre 27 de junho e 15 de julho.

O relatório de avaliação mútua do Grupo de Ação Financeira Internacional, GAFI, sobre o sistema de prevenção e combate ao branqueamento de capitais, financiamento ao terrorismo e proliferação de armas de destruição em massa , teve  inicio em outubro de 2021 e deverá estar concluído entre Março e Abril de 2023.

Angola está a ser avaliada no âmbito do sistema de prevenção e combate ao branqueamento de capitais, em que os peritos vão avaliar  o grau de cumprimento e implementação das recomendações desde 2012, quando foi aprovado o relatório anterior e o nosso país foi admitido como membro do grupo regional do GAFI

Data de Emissão: 23-06-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomia
Tópicos(s): BNAMinistério das FinançasUIF
Edição de 22 de Junho de 2022
 

 

VENDEDORES USAM LICENÇAS DAS FARMÁCIAS PARA SE ABASTECEREM NOS DEPÓSITOS

Um levantamento do Sindicato dos Médicos em Angola constatou que uma receita que pode custar 18.500 Kz numa farmácia é comprado por 2.000 Kz no mercado clandestino dos Kwanzas, município do Cazenga, um valor nove vezes mais baixo.

 

Graciete Xavier – Jornal Expansão

20 de Junho 2022 

Venda ilegal de medicamentos continua em Luanda 12 anos após proibição

“Temos todos os medicamentos que a senhora quiser. “Esta é a frase ouvida por todas as pessoas que entram no portão principal daquele que já foi considerado um dos maiores mercados de venda ilegal de medicamentos, o Mercado dos Kwanzas, situado no município do Cazenga. A venda, que foi proibida em 2011, ocorre de maneira clandestina, mas à vista de toda a gente, e é usada por centenas de pessoas que encontraram aqui o seu “ganha-pão”.

 

Apesar de ilegal, é nos depósitos de medicamentos que os vendedores se abastecem. Usam as licenças das farmácias para adquirir os fármacos que depois vendem, sem qualquer critério ou rigor na comercialização. Mesmo os que compram medicamentos sujeitos a receita médica conseguem comprar o fármaco. A venda ilegal e avulsa de medicamentos persiste em Luanda, apesar de ser proibida a comercialização de fármacos fora das farmácias, desde 2011.

 

Centenas de pessoas dedicam-se a este negócio, como constatou o Expansão, durante uma ronda no mercado dos Kwanzas. Apesar da venda ser feita de maneira clandestina o Expansão soube, durante uma conversa com algumas vendedoras de roupa do fardo que vendem neste mesmo mercado, que os medicamentos ficam empilhados num quintal não muito longe do mercado, expostos ao sol, alguns até fora do prazo de validade. Há ainda casos de vendedores que deixam a mercadoria nas próprias casas, por medo de a polícia descobrir a existência destes quintais.

 

Ao chegar ao Mercado dos Kwanzas, é notória a presença de vários homens espalhados pela entrada, que vão atrás de quem chega. Todos eles sussurram aos ouvidos a variedade de medicamentos que têm para oferecer e garantem que os medicamentos estão em bom estado. “Temos todo o tipo de medicamentos. Qual a senhora quer? Podemos vender com receita ou sem receita. É só dizer que dores sentes que eu vou-te vender o medicamento certo e a dor vai passar”.

 

Estas foram as frases soltas pelo senhor Jacinto, vendedor de medicamentos há mais de 22 anos no Mercado dos Kz. A todo custo o homem tentou convencer-nos a comprar medicamentos. Sob disfarce, com a intenção de obter informações, a equipa de reportagem apresentou-se como proprietária de uma farmácia nova, que precisa de se abastecer. Passada a informação, o senhor Jacinto e outros colegas empolgaram-se a explicar rapidamente como funciona o negócio e, sem qualquer receio, desvendaram os segredos do negócio. “Os medicamentos são comprados nos depósitos certificados pelo Ministério da Saúde, compramos com a licença das farmácias e depois voltamos a revender os medicamentos para elas. A verdade é que a compra de medicamentos nos depósitos só pode ser realizada se for em grandes quantidades e nem sempre as farmácias querem comprar grandes quantidades, porque na maioria dos casos só querem aumentar o stock. Por esta razão, ela nos entrega a licença, nós compramos em grandes quantidades e revendemos aqui no mercado dos Kz e nas próprias farmácias”, explicou Jacinto.

 

O vendedor, que é oriundo da República Democrática do Congo, veio para Angola há 30 anos à procura de melhores condições de vida. Esteve na província do Uíge, mas o principal objectivo era chegar à capital, onde acreditava que encontraria uma fonte de rendimento para o sustento dos quatro filhos. Hoje, como um dos vendedores mais antigos do mercado, esclarece que a venda de medicamentos acontece de forma clandestina, porque a Polícia Económica aparece com bastante frequência e se alguém for encontrado a vender é multado. O valor da multa chega até aos 316 mil Kz.

 

Mário, outro vendedor, diz que o mercado recebe clientes que vêm à procura de todo o tipo de medicamentos, desde fármacos a produtos tradicionais, e até aquilo que os vendedores chamam de “medicamentos secretos”. Estes últimos não são vendidos nas bancadas, por medo polícia. Por esta razão, os vendedores ficam à porta do mercado para chamar os clientes e assim que dizem o que querem vão buscar o medicamento que fica no “processo” (quintal ou armazém onde ficam guardadas as mercadorias que são vendidas nos mercados informais, desde roupa, calçado, comida, fruta e também medicamentos, que ficam em condições impróprias para consumo face à grande exposição ao calor).

 

Santos Nicolau, bastonário da Ordem dos Farmacêuticos de Angola, diz que o comércio de remédios nos mercados informais está longe de acabar, devido ao seu baixo preço. Outros recorrem a eles por não terem receita médica.

 

Um levantamento do Sindicato dos Médicos em Angola permitiu constatar que uma receita que pode custar 18.500 numa farmácia chega a ser comprada por 2.000 Kz na clandestinidade. Este esquema não envolve apenas os vendedores e os proprietários das farmácias. Segundo Santos Nicolau, os gerentes dos depósitos de medicamentos, em muitos casos, até vendem os medicamentos aos comerciantes sem licença das farmácias, com o objectivo de vender com maior rapidez.

 

“Isso é um esquema que convém aos donos dos depósitos dos medicamentos. Há depósitos que só têm cinco clientes oficiais, o que faz com que os produtos demorem mais tempo para sair. O que esses gestores fazem é conseguir pelo menos mais 20 comerciantes informais, a quem vendem a um preço mais baixo em relação às farmácias, garantindo sempre o lucro. Isto é uma máfia”, resumiu.

 

 

Data de Emissão: 22-06-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomia
 
Edição de 21 de Junho de 2022
 

Sobre os direitos dos trabalhadores em Angola a propósito do acordo do projecto Hidroeléctrico de Caculo Cabaça, município de Cambambe, Cuanza-Norte

Caculo Cabaça é uma vila e comuna angolana que se localiza na província de Cuanza Norte, pertencente ao município de Banga.

 

 

Data de Emissão: 21-06-2022 às 07:30
Edição de 20 de Junho de 2021
 

O Novo Aeroporto Internacional de Luanda baptizado com o nome “Dr. António Agostinho Neto” realizou na  sexta-feira,17, o primeiro voo experimental, através de uma aeronave do tipo Boeing 777 da companhia de bandeira nacional TAAG.

Preços baixos da energia afastam investidores do sector

 Angola adere à transparência indústria extractiva

Ainda o orçamento do Petro

Recenseamento eleitoral

Data de Emissão: 20-06-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioEconomia
 
Edição de 13 de Junho de 2022
 

Subida dos juros para combater inflação na Europa e nos EUA ameaça economia mundial (e angolana)

Reestruturação das grandes Empresas públicas reafirmada no conselho consultivo do MinFin

As Profissões dos deputados angolanos

Este sábado, TPA deu 108m30s ao comício do MPLA no Moxico e 1m11s ao comício da UNITA em Cabinda

Data de Emissão: 13-06-2022 às 08:00
Género(s): DebateEntrevistaOpinião
 
Edição de 06 de Junho de 2022
 

Temas:

[ ] Angola tem a taxa mais alta de empreendedorismos do mundo mas também é o País onde é mais difícil empreender
[ ] BNA crédito à habitação
[ ] Contas das empresas públicas IGAPE
[ ] Jornal diz que Indicador de confiança melhorou antes do indicador sair
[ ] A “incompetência” de Chivukuvuku na recolha de assinaturas para formar PRA JA

Data de Emissão: 06-06-2022 às 08:00
Edição de 01 de Junho de 2022
 

BNA baixa coeficiente de reservas obrigatórias em moeda nacional

Segundo o governador do BNA, José Massano, pese embora as incertezas e os riscos associados ao contexto económico externo e potenciais impactos sobre a economia nacional, ainda em fase de recuperação, o actual curso da política monetária mantém-se adequado ao alcance do objectivo da inflação.

 

O Banco Nacional de Angola (BNA) reduziu o coeficiente das reservas obrigatórias dos Bancos Comerciais, em moeda nacional, de 22% para 19%, este mês e até Julho chega a 17%.

A decisão saiu esta terça-feira da 105ª Reunião Ordinária do Comité de Política Monetária (CPM) do Banco Nacional de Angola (BNA), realizada no Lubango, província da Huíla, tendo analisado o comportamento recente e as perspectivas dos principais indicadores económicos, com o propósito de avaliar o quadro macroeconómico e buscar soluções que contribuam para uma contínua estabilidade dos preços.

O CPM decidiu, igualmente, manter inalterado o coeficiente das reservas obrigatórias em moeda estrangeira em 22%, assim como as taxas básica de juro (Taxa BNA) em 20%, de facilidade permanente de cedência de liquidez em 25% e a de absorção de liquidez em 15%.

Segundo o governador do BNA, José Massano, que falava em conferência de imprensa no final dos trabalhos, pese embora as incertezas e os riscos associados ao contexto económico externo e potenciais impactos sobre a economia nacional, ainda em fase de recuperação, o actual curso da política monetária mantém-se adequado ao alcance do objectivo da inflação.

Ainda assim, segundo o responsável, face à necessidade de fortalecimento dos instrumentos de transmissão da política monetária, o CPM decidiu reduzir os níveis de imobilização financeira, iniciando o processo gradual de redução do coeficiente das reservas obrigatórias, em moeda nacional, em cinco pontos percentuais e intensificar as operações de mercado aberto.

A próxima reunião ordinária do CPM do Banco Nacional de Angola realizar-se-á no dia 29 de Julho de 2022, na província de Cabinda.

Data de Emissão: 01-06-2022 às 07:00
Género(s): Economia
Tópicos(s): BNA
Edição de 31 de Maio de 2022
 

ECONOMIA

Gás volta a superar diamantes e é o segundo maior produto de exportação de Angola

EXPORTAÇÃO DE GÁS MAIS DO QUE TRIPLICOU EM 2021

Caminho da diversificação económica de Angola também está atrelado a um produto associado ao petróleo. Em 2012 as exportações de gás valiam menos de 1% do total das exportações e em 2021 já valem 11%. No ano passado, o gás rendeu mais do dobro do valor das vendas de diamantes para o exterior.

Data de Emissão: 31-05-2022 às 07:00
Género(s): Economia
Tópicos(s): GásSonangol
Edição de 30 de Maio de 2022
 

Petro de Luanda, custa 36,4 milhões de Dólares ano a Sonangol em 2022, segundo o seu orçamento 

REGIME JURÍDICO APROVADO

Estado pode apropriar-se de bens e participações sociais

 

Bens móveis e imóveis, e participações sociais de pessoas singulares ou colectivas privadas, podem ser objecto de apropriação pública, no todo ou em parte, quando estejam em causa motivos de interesse nacional, como a segurança nacional e alimentar, a saúde pública, o sistema económico e financeiro, o fornecimento de bens ou a prestação de serviços essenciais. 

A Proposta de Lei que estabelece o Regime Jurídico da Apropriação Pública que consagra este princípio foi aprovada, na generalidade, pelos deputados esta quarta-feira, 2 de Março, com 123 votos a favor, nenhum contra e 36 abstenções. 

O diploma consagrada igualmente os princípios do respeito pela propriedade privada, da proporcionalidade, da subsidiariedade e da igualdade, bem como estabelece os procedimentos de apropriação pública por via da nacionalização, da entrega voluntária de bens e por via da declaração judicial de transferência de bens para o Estado.

Com este diploma, segundo o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, a nacionalização realiza-se por acto próprio do Presidente da República. 

Outro acto administrativo para a nacionalização deve justificar a razão de ser e o interesse público subjacente a tal medida. 

O mecanismo de entrega voluntária de bens, explicou o ministro, pretende reforçar o actual procedimento de entrega voluntária de bens adquiridos pela prática de actos ilícitos lesivos ao património público, introduzindo determinadas formalidades que permitem garantir maior certeza e segurança jurídica ao procedimento. 

“Nos termos desta Proposta de Lei, a entrega voluntária não extingue os procedimentos criminais ou de outra natureza, relacionados com bens objectivos de entrega, mas pode funcionar como circunstância atenuante nos termos da Lei Penal”, clarificou.  

O diploma consagra também o direito à indemnização que ocorre na apropriação pública, por meio da nacionalização, e na declaração judicial de transferência de bens a favor do Estado, e permite que os bens apropriados sejam reprivatizados.

 

FMI elogia esforços de Angola, mas avisa que o país continua muito dependente do petróleo

Data de Emissão: 30-05-2022 às 08:00
Edição de 26 de Maio de 2022
 

O presidente do Senegal, Macky Sall, atual presidente da União Africana, apelou à criação de uma agência de notação financeira pan-africana, considerando que as agências internacionais exageram o risco de investimento em África, aumentando o custo de financiamento.

 

O presidente do Senegal, Macky Sall reclama uma reforma do Conselho de Segurança da ONU por considerarem que não serve os interesses do continente africano.

Data de Emissão: 26-05-2022 às 07:30
Género(s): ComentárioEconomia
 
Edição de 25 de Maio de 2022
 

Aumento dos Salários da Função pública e Pensões de Reforma

Data de Emissão: 25-05-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioDebateEconomiaOpinião
 
Edição de 23 de Maio de 2022
 

 

[ ] Aumento dos angolanos não disponíveis para trabalhar reduz desemprego

[ ] Administradores do BNA ganham mais do que os colegas americanos 

[ ] As acções do BAI estão caras ou estão baratas?

[ ] Por que o preço da gasolina não pode ou pelo menos não deve baixar

Data de Emissão: 23-05-2022 às 08:00
Edição 11 de Maio de 2022
 

TEMA…

Emprestimo de usd 500 milhões do Banco Mundial a Angola assinado ontem.

Como não almoços grátis Angola compromete-se a fazer uma seriende reformas como retirar os subsídios aos combustíveis e a energia e água

Edição 04 De Maio 2022
 

ECONOMIA SEM MAKAS 

Fraudes com multicaixa express obrigam EMIS a fazer comunicado alertando utilizadores do serviço sobre medidas de segurança

Data de Emissão: 04-05-2022 às 07:10
Género(s): Comentário
 
Edição 26 Abril 2022
 

 intervenção do BNA no mercado de câmbios comprando diamantes para evitar a volatilidade da taxa de câmbio que já apreciou 31,3% este ano

Data de Emissão: 26-04-2022 às 07:00
Género(s): Comentário
 
Edição 19 Abril 2022
 

TEMA

Banco mundial diz que Sub investimento no capital humano em capital físico é humano ameaça a redução da pobreza é a diversificação da economia e deixa Angola exposta ao petróleo, à pandemia e as alteração climáticas

Data de Emissão: 19-04-2022 às 07:30
Género(s): Economia
 
Edição 18 Abril 2022
 

TEMA:

[ ] BNA prepara mudança de método de controlo da inflação que desceu pelo segundo mês consecutivo em Março
[ ] FMI pede calma nas privatizações
[ ] Banco Standard Chartered sai de Angola
[ ] Governo aprova financiamento para o Santuário da Muxima

Edição 15 Abril 2022
 

TEMA:

Hoje fazemos 3 anos e por isso proponho falarmos de nós. Se tivermos tempo podemos abordar a inflação que voltou a desacelerar em Março para 27% face aos 27,33 de Fevereiro

Data de Emissão: 15-04-2022 às 07:30
Género(s): Economia
 
Edição 14 Abril 2022
 

TEMA:

Vamos voltar ao tema do tribunal de contas que respondeu em comunicado dizendo que não tem de prestar contas ao ministério das finanças. Em alternativa podemos falar das privatizações onde o FMI aconselha prudência ao governo.

Data de Emissão: 14-04-2022 às 07:30
Género(s): Economia
 
Edição 13 Abril 2022
 

MANCHETE:

Os 21 de anos do tribunal de contas. O tribunal que tem a missiones fiscalizar as contas públicas nao presta contas segundo a conta geral do estado preliminar do MinFin de 2020 o TC foi o unico órgão de soberania que não remeteu ao ministério das finanças o relatório de gestão de 2020

Data de Emissão: 13-04-2022 às 07:30
Edição 12 Abril 2022
 

TEMA:

Banco mundial prevê que cerca de metade do PIB ucraniano desapareça com a invasão russa só este ano. Decisão de Putin pode custar uma recessão superior a 11% ao seu próprio país.

Data de Emissão: 12-04-2022 às 08:34
Género(s): Economia
 
Edição 08 Abril 2022
 

TEMA:

Entrada no Mercado da Africell

Data de Emissão: 12-04-2022 às 07:34
Género(s): Economia
 
Edição 11 Abril 2022
 

TEMA:

Temas 100 makas 
[ ] Banca: Bodiva regista compra do bci pela Carrinho
[ ] BNA renova programa de crédito à economia
[ ] Angola emite 1,75 milhões eurobonds
[ ] Correios e CFB reactivam serviços de remessas postais
[ ] Oxford Economics prevê que Angola cresça 3% este ano

Data de Emissão: 11-04-2022 às 08:00
Edição 7 Abril 2022
 

Presidente da caixa geral de depósitos o banco público angolanos que tem 51% da caixa geral Angola

Data de Emissão: 07-04-2022 às 07:12
Género(s): Comentário
 
Edição de 31 de Março de 2022
 

Oitocentos e cinquenta e oito mil (858) milhões de kwanzas é o montante disponibilizado pelo Executivo angolano no quadro de um fundo destinado ao crédito à habitação.

A informação foi prestada pelo governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Massano Júnior, em declarações à imprensa, esta quarta-feira, no final de uma reunião da Comissão Económica do Conselho de Ministros, orientada pelo Presidente da República, João Lourenço.

Adiantou que o montante, equivalente a 1,7 milhões de dólares, visa estimular o acesso à casa própria com recurso ao crédito bancário.

Explicou que a medida visa permitir com que os bancos comerciais  concedam crédito até 100 milhões kwanzas, por mutuário, para aquisição de casa própria a casais.

Referiu que o empréstimo, a título individual, pode ir até 50 milhões de kwanzas.

O governador do BNA informou que o crédito deve ter uma maturidade máxima de 25 anos, com taxa de juros de 7,5 %.

Salientou que a banca exigirá, para concessão da facilidade bancária, garantias que podem ser pessoal ou fiança.

Massano Júnior disse que, criadas as facilidade de crédito até 10%, as  as entidades promotoras de projectos de construção para fins habitacionais.

Deu conta que os bancos comerciais terão até 60 dias para organizar o processo de facilitação do créditos à habitação e a construção de moradias nas modalidades a indicadas.

EMPRÉSTIMOS A HABITAÇÃO ANUNCIADO HOJE PELO GOVERNADOR DO BNA.

CÁLCULOS FEITOS ATÉ AO TETO MÁXIMO ISTO É 100 MILHÕES E 50 MILHÕES
===============================

Prazo: 25 anos = 300 Prestações
Taxa de juros = 7%
Montante: 100.000.000,00 (Para Casal)
50.000.000,00 (Para solteiro/Individual.
=============================
Contas Básicas para um empréstimo de 100.000.000,00
Prestação mês = 333.333,00 Akz
Juros Mês = 575.342,00 Akz
=========
Total Amort+Juros 908.675,00 Akz

Suponhamos que a taxa de esforço seja de 40%

Só pode pedir o empréstimo quem tiver uma remuneração mensal de Akz. 2.324.000,00 neste caso o casal.

Alguém me pode explicar qual o trabalhador ou casal que pode se candidatar a este empréstimo?

Quem aufere este salário ?
================================

Contas Básicas para um empréstimo de 50.000.000,00
Prestação mês = 166.666,00 Akz
Juros Mês = 287.671,00 Akz
=========
Total Amort+Juros 454.337,00 Akz

Suponhamos que a taxa de esforço seja de 40%

Só pode pedir o empréstimo quem tiver uma remuneração mensal de Akz. 1.200.000,00 neste caso individual

===============================
Contas feitas por alto pois os juros mensais vão baixar atendendo a que o capital em dívida vai diminuindo com as prestações pagas.

 

 

Data de Emissão: 31-03-2022 às 08:00
Género(s): ComentárioEconomia
Tópicos(s): BNAJosé de Lima Massano
Edição 30 De Março 2022
 

O petróleo Brent fechou em queda de US$ 2,25, ou 2%, a US$ 110,23 o barril, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) caiu US$ 1,72, ou 1,6%, a US$ 104,24.

As ações europeias subiram nesta terça-feira (29), acompanhando a força dos mercados asiáticos e de Wall Street, uma vez que as discussões de paz entre Rússia e Ucrânia renderam o sinal mais tangível de progresso para a negociação do fim da guerra.

Data de Emissão: 30-03-2022 às 07:29
Género(s): Comentário
 
Edição 29 de Março 2022
 

TEMA:

  1. Concessão do Porto de carga geral
  2. Contentores Lobito aos chineses da CITIC e SPG
Data de Emissão: 29-03-2022 às 07:15
Edição 28 de Março 2022
 
  1. Semana passada falou-se muito de dívida: Universidade chinesa disse que Angola tem o maior serviço da dívida com a China; ministra Vera Daves de Sousa disse que Angola pode emitir eurobonds a qualquer momento; chefe da equipa económica Manuel Nunes Júnior disse que dívida vai baixar para 84% do PIB.
  2. Relatório centro investigação económica da universidade lusíada teme por Angola com a aproximação do fim do Cinvestec
  3. Novo aeroporto de Luanda pronto dentro de um ano com excesso de capacidade
  4. Porto do Lobito entregue aos chineses da CITIC
Edição 25 de Março 2022
 

MANCHETES

SÃO VICENTE EX PATRÃO DAS TRÊS AS CONDENADO NOVE ANOS DE PRISÃO; 

JORNALISTAS PREOCUPADOS COM CONFISCO DE MAIS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL; 

ALIMENTOS ESCASSOS. COMIDA DIFICIL. ALERTA DA ONU DEVIDO AO AUMENTO DE TESSÕES E GUERRAS PELO MUNDO;

UM MÊS DEPOIS DA GUERRA DA RUSSIA CONTRA A UCRANIA. CONTINUAM AS INCERTEZAS; 

NATO AUMENTA TROPAS E APOIA A UCRANIA;

Data de Emissão: 25-03-2022 às 07:15
Género(s): Noticiário
 
Edição 25 de Março 2022
 

Estamos sempre a falar do que nós devemos aos outros, hoje vamos falar do que os outros nos devem: em 31 de Dezembro de 2020, 12 países, dos quais 11 africanos, deviam a Angola usd 925 milhões

Data de Emissão: 25-03-2022 às 07:13
Género(s): Comentário
 
Edição 24 Março 2022
 

sobre a transferência de competências do governo central para os governos provinciais (234 segundo o Expansão) e dos governos provinciais para os municípios (2389) no âmbito da desconcentrarão administrativa

Data de Emissão: 24-03-2022 às 07:13
Género(s): Comentário
 
Edição 23 Março 2022
 

uma conferência Pan africana sobre a dívida em que um dos temas era se podemos criar formas de financiamento do desenvolvimento em que sejam os africanos a ditar as regras dos financiamentos.

Data de Emissão: 23-03-2022 às 07:12
Género(s): Comentário
 
Edição 22 De Março 2022
 

o primeiro trimestre do mercado segurador que registou um crescimento de 23%

Data de Emissão: 22-03-2022 às 07:13
Género(s): Comentário
 
Edição 21 De Março 2022
 

ECONOMIA ‘’100’’ MAKAS
1. Consumidor confiança
2. Relatório social CEIC
3. Valorização do Kz
4. 1.º de Agosto
5. Derrame em Cabinda (A MFM foi a primeira a fazer a denuncia e retomou o caso sábado, com a informação do inicio da contenção do vazamento)
6. Congresso UNITA TC

Data de Emissão: 21-03-2022 às 08:00
Género(s): Comentário
 
Edição 16 Março 2022
 

A inflação que desceu pela primeira vez em 8 meses.

Data de Emissão: 16-03-2022 às 07:12
Género(s): ComentárioEconomia
 
Edição 15 Março 2022
 

e o inquérito de conjuntura do INE que revela que revela que os empresários optimistas sobre a evolução da economia no curto prazo estão praticamente empatados com os pessimistas

Data de Emissão: 15-03-2022 às 07:12
Género(s): Comentário
 
Edição 14 Março 2022
 

] Combustíveis: dados da Sonangol sugerem que igape subavalia subsídios aos combustíveis
[ ] SODIBA asfixiada financeiramente
[ ] Governo mantém previsões OGE apesar da subida do petróleo
[ ] Banco Mundial diz que comida vai subir 20%

Data de Emissão: 14-03-2022 às 08:00
Género(s): Comentário
 
Edição 10 Março 2022
 

ECONOMIA SEM MAKAS EDIÇÃO DE 10 03 2022

COM CARLOS ROSADO DE CARVALHO MODERAÇÃO DE MANUEL VIERA E O SUPORTO TECNICO DE PEDRO OLIVEIRA 

Data de Emissão: 14-03-2022 às 07:09
Género(s): Comentário
 
Edição 08 Março 2022
 
  1. A economia da invasão da Ucrânia com ênfase no petróleo que está em máximos desde 2008

2.Embaixador da China acredita que Angola vai pagar as dívidas

  1. Embaixador da Noruega aconselha Angola a replicar organização do sector petrolífero para outros sectores
  2. BPC com prejuízo 80,7 milhões
Data de Emissão: 08-03-2022 às 07:12
Género(s): Comentário
 
Edição 07 Março 2022
 

telecomunicações mais problemas com chamadas na UNITEL que é acusada pela Africell de extorsão

Data de Emissão: 07-03-2022 às 07:12
Género(s): Comentário
 
Edição 04 Março 2022
 

 alterações aos limites de entrada e saída de Angola com moeda estrangeira decididos pelo BNA.

Data de Emissão: 04-03-2022 às 07:11
Género(s): Comentário
 
Edição 03 Março de 2022
 

O governo  gastou 858,11 mil milhões KZ   nos primeiros nove meses de 2021 a subsidiar combustíveis.

Data de Emissão: 03-03-2022 às 07:11
Género(s): ComentárioEconomia
 
Edição 2 Março 2022
 

o novo record do petroleo nos 110 usd máximo desde junho de 2014. 

 

Data de Emissão: 02-03-2022 às 07:14
Género(s): ComentárioEconomia
 
Edição 1 Março 2022
 

Temas 100 makas 20220228
[ ] Invasão da Ucrânia e a economia
[ ] Sonangol regressa aos lucros
[ ] Grandes importadores com acesso ao mercado grossista de divisas
[ ] Angola quer liderar economia digital no continente

Data de Emissão: 01-03-2022 às 07:12
Género(s): Comentário
 
Edição 28 Fevereiro 2022
 

TEMAS 100 MAKAS 20220228

 

1 – Invasão da Ucrânia e a economia

A invasão a Ucrânia pela Rússia, chegou  numa altura delicado para a economia mundial, que estava apenas a começar a se recuperar dos estragos do COVID.

A guerra pode agora ter consequências econômicas de longo alcance, à medida que os mercados financeiros caem e o preço do petróleo dispara.

2 – SONANGOL regressa aos lucros

-A Sonangol perspetiva fechar as contas de 2021, com resultados operacionais positivos, contrariamente do que aconteceu em 2020.

– O homem forte da Sonangol revelou também, que a empresa conseguiu reduzir, significativamente, o volume da sua dívida que anda à volta, agora, em 1,712 mil milhões de dólares.

– A venda de 18 activos da Sociedade de Combustíveis de Angola (Sonangol) no país e no exterior renderam, até ao momento, USD 84 milhões, desde o início do processo de privatizações em curso.

– Em 2021, no quadro deste processo de privatizações, coordenado pelo Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE),  adstrito ao Ministério das Finanças, a Sonangol  desinvestiu 13 activos  avaliados em cerca de USD 35 milhões.

-.-

2 – Grandes importadores com acesso ao mercado grossista de divisas

3  – Angola quer liderar economia digital no continente

– O país pretende posicionar-se como uma economia digital líder em África através da implementa­ção da Iniciativa Smart Angola, que trará benefícios, quer para o mercado nacional, como para os cidadãos.

– Manuel Homem – ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, no encontro que manteve com um dos membros da família governante do Emirado do Dubai, sheikh Ahmed Al Maktoum.

Data de Emissão: 28-02-2022 às 07:09
Género(s): Comédia
Tópicos(s): RússiaSonangolUcrânia
Edição 25 Fevereiro 2022
 

O balanço do primeiro dia da invasão da Ucrânia. 

Data de Emissão: 25-02-2022 às 07:15
Género(s): Comentário
 
Edição 24 Fevereiro 2022
 

O livros dos 3 maiores bancos que dispararam em 2021

Data de Emissão: 24-02-2022 às 07:14
Género(s): Comentário
 
Edição 23 Fevereiro 2022
 

Vamos falar sobre os livros dos 3 maiores bancos que dispararam em 2021

Data de Emissão: 23-02-2022 às 07:16
Género(s): Comentário
 
Edição 22 Fevereiro 2022
 

Inevitavelmente As potenciais consequências económicas da situação na Ucrânia. 

 

Data de Emissão: 22-02-2022 às 07:13
Género(s): Comentário
 
Edição 21 Fevereiro 2022
 

1.Ministro da economia e o crédito à economia

2.Preço do BAI versus preço BCI

3.150 mil milhões da UE para África

4.Aumento dos juros e da inflação ameaçam África

  1. Despesas com Institutos públicos aumentam
Data de Emissão: 21-02-2022 às 08:00
Género(s): Comentário
 
Edição 18 Fevereiro 2022
 

falta de gás de botija no país e a negação das evidências pela Sonangol.

Data de Emissão: 18-02-2022 às 07:17
Género(s): Comentário
 
Edição 17 Fevereiro 2022.
 

Vamos falar sobre o desemprego no IV trimestre de 2021:

desceu globalmente de 34,1% para 32,9% mas subiu ligeiramente entre os jovens de 59,2% para 59,8%

 

Data de Emissão: 17-02-2022 às 07:14
Género(s): Comentário
 
Ediçao 16 Fevereiro 2022
 

A reabertura da ZAP. O novo fiel depositário – o Ministério da Comunicação Social – meteu uma cunha à tutela – o Ministério da Comunicação Social – e resolveu o problema da suposta falta de licença. Será tráfico de influências?

 

#ECONOMIA_SEM_MAKAS

Data de Emissão: 16-02-2022 às 07:16
Género(s): Comentário
 
Edição de 15 Fevereiro de 2022
 

CONFUSÃO NA TITULARIDADE DO CAPITAL SOCIAL ADIA MAIS UMA VEZ A ASSEMBLEIA DA UNITEL

Data de Emissão: 15-02-2022 às 07:16
Género(s): Comentário
 
Edição 14 Fevereiro 2022
 
  1. Inflação abre ano em alta, ignorando reserva estratégica
  2. Contas nacionais salários continuam a perder peso no PIB
  3. Angola entre os cinco países mais frágeis em termos de endividamento
  4. Cada acção do BAI vale Kz 18 100
Data de Emissão: 14-02-2022 às 07:20
Género(s): Comédia
 
Edição 11 Fevereiro 2022
 

# A proposta das mulheres deputadas que pretendem alargar para 6 meses a baixa pós parto.

Data de Emissão: 11-02-2022 às 07:18
Género(s): Comentário
 
Edição 10 Fevereiro 2022
 

#- conferência do Tribunal Constitucional

sobre os 12 anos de constituição que aconteceu ontem num hotel de Luanda e que colocou como principal desafio a resolver o método de eleição do Presidente da República

Data de Emissão: 10-02-2022 às 07:13
Género(s): Musical
 
Edição de 09 Fevereiro de 2022
 

A agência de notação financeira Standard & Poor’s (S&P) melhorou na semana passada o rating de Angola para B-, a terceira melhoria recente pelas 3 principais agências

Data de Emissão: 09-02-2022 às 07:16
Género(s): Comentário
 
Edição 07 de Fevereiro de 2022
 

Temas 100 makas:
[ ] BNA alerta para pirâmide
[ ] Angola 10.° melhor destino para investir
[ ] Privatização Pumangol
[ ] Mudanças na liderança do INE
[ ] BCE muda discurso sobre subida dos juros

Data de Emissão: 07-02-2022 às 08:00
Género(s): Comentário
 
Edição 8 Fevereiro 2022
 

O balanço de quarto meses da nova administração da TAAG

Data de Emissão: 04-02-2022 às 07:15
Género(s): Comentário
 
Edição 4 Janeiro 2022
 

Economia Sem Makas:

A proposito do 4 de Fevereiro vamos falar dos apelos para a necessidade de diálogo entre políticos e até de um pacto de regíme vindos de diversos quadrantes como a CEAST e de líderes de opinião.

Data de Emissão: 04-02-2022 às 07:13
Género(s): Comentário
 
Edição 03 Fevereiro de 2022
 

CREDITOS MALPARADO DO BPC.

RECREDIT FICOU COM O CREDITO TODO

Data de Emissão: 03-02-2022 às 07:10
Género(s): ComentárioEconomia
 
Edição de 02 Janeiro de 2022
 

notícia exclusiva do 100 makas: a ICTSI recorreu da decisão da comissão de avaliação da concessão do Porto do Lobito que propôs como vencedor os chineses da CITIC/SPG.

Data de Emissão: 02-02-2022 às 07:18
Género(s): Comentário
 
Edição 02 de Fevereiro de 2022
 

TOPICO

1 ICTSI recorreu da decisão da comissão de avaliação da concessão do Porto do Lobito que propôs como vencedor os chineses da CITIC/SPG

2 O grupo filipino International Container Terminal Services (ICTSI) venceu.

Data de Emissão: 02-02-2022 às 07:09
Género(s): Economia
 
Edição de 01 de Fevereiro de 2022

Angola: Governo aprova aumento do salário mínimo nacional em 50%

O Conselho de Ministros angolano aprovou esta segunda-feira (31.01) a proposta de aumento do salário mínimo nacional na ordem dos 50%. Medida deixa de fora titulares de cargos de cargos políticos, lideranças e chefias.

   Esta medida, que visa devolver o poder de compra das famílias angolanas, afetado pela conjuntura económica do país, foi anunciada na sexta-feira (28.01) pelo líder do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido no poder, João Lourenço.

No final da reunião de Conselho de Ministros, presidida pelo chefe de Estado angolano, João Lourenço, a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), Teresa Dias, disse que antes da decisão foi realizado um trabalho por um grupo técnico, integrado pelo Governo e parceiros sociais, entre os quais as principais forças sindicais do país.

Teresa Dias disse que este estudo permitiu encontrar um ponto de equilíbrio entre os dois grupos, chegando-se à conclusão de que devia haver um impacto do salário mínimo nacional na ordem do 50%.

“Aí ficou perfeitamente ajustado entre as partes, que, quer nos vários setores, da agricultura, a título meramente exemplificativo, sairíamos dos 21.454 kwanzas (36 euros) para 32.181,15 kwanzas (54 euros), passaríamos, nos transportes, serviços e indústria transformadora, como salário mínimo de 26.817 kwanzas (45 euros) para 40.226,00 Kwanzas (67,5 euros), no comércio e indústria de 32.000 kwanzas (53,7 euros) para 48.271 kwanzas (80,9 euros)”, referiu a ministra.

Para a ministra, nesta proposta estão representados todos os interesses, no âmbito das negociações que tiveram, quer com os sindicatos, quer com as entidades patronais.

“O que se entendeu é que deveríamos, numa primeira fase, ter uma abordagem que permitisse, pela primeira vez, termos uma diferenciação positiva, isto é, dentro dos vários cenários feitos e, de acordo com as nossas disponibilidades financeiras, entendemos que deveríamos impactar mais nas classes mais baixas, para poder ir diminuindo percentualmente as classes mais altas”, salientou.

No primeiro cenário, explicou a ministra a título de exemplo, os auxiliares de limpeza passam dos 33.598,36 kwanzas (56,4 euros) para os 67.807,59 kwanzas (113,8 euros), correspondente a um impacto de 102% sobre o salário anterior.

“Este exercício de maior impacto foi das classes não técnicas até às classes técnicas, dos técnicos superiores de terceira, até ao professor catedrático, nós apenas fizemos uma sinalização como um impacto no valor de 4% apenas, sendo as classes mais baixas aquelas que mais incrementamos”, frisou.

Data de Emissão: 01-02-2022 às 07:20
Género(s): Economia
Tópicos(s): Aumentos salariais
Edição 31 Janeiro 2022
 

 

A nacionalização da ZAP
Governo seduz trabalhadores com aumentos salariais e a alteração da lei do trabalho
BNA mantém juros
O que se passa com o Finibanco? Vai fundir-se com o BNI ou com a Caixa Geral
Melhorias sustentada do Índice de Corrupção, mas…

 
 
Edição 28 Janeiro 2022
 

Petróleo brema sobe a números já mais vistos desde 2014 :

O petróleo  brema subiu nesta quarta-feira (26 De Janeiro 2022 ), chegando a US$ 90 o barril pela primeira vez em sete anos, apoiado em uma oferta apertada e crescentes tensões políticas entre Rússia e Ucrânia somadas a preocupações sobre mais interrupções em um mercado já apertado.

Data de Emissão: 28-01-2022 às 07:15
Género(s): ComentárioEconomia
 
Edição 27 Janeiro 2022
 

Emissão de eurobonds que Angola irá fazer este ano, confirmação feita por Vera Daves de Sousa a seguir à reunião da comissão económica

Data de Emissão: 27-01-2022 às 07:14
Género(s): Comentário
 
Edição 26 Janeiro 2022
 
  • CONCURSO DO CORREDOR DE LOBITO 
Data de Emissão: 26-01-2022 às 07:15
Género(s): Comentário
 
Edição 25 Janeiro 2022
 

o mercado automóvel que em 2021 registou o primeiro aumento de vendas em 7 anos.

Data de Emissão: 25-01-2022 às 07:26
Género(s): Comentário
 
Edição 24 de Janeiro de 2022
 

1- Fitch melhora classificação de risco de Angola
2- Relatório FMI
3- Entreposto Aduaneiro de Angola na falência
4- Carros chineses lideram mercado
5-  Incubadora empresas

Data de Emissão: 24-01-2022 às 08:00
Género(s): Economia
Tópicos(s): Fitch
Edição 21 Janeiro 2022
 

Receitas das privatizações.

  • Metade das receita são de facto um swap (troca) em que a Sonangol trocou, a participação na puma energy pela totalidade do capital da Pumangol ou seja a Pumangol foi nacionalizada
Data de Emissão: 21-01-2022 às 07:21
Género(s): Comentário
 
Edição de 21 de Janeiro de 2022

O Executivo encaixou 850 mil milhões de kwanzas ao longo de três anos de implementação do Programa de Privatizações (Propriv) e alienou 64 activos entre 2020 e 2021.

 

 

 

Data de Emissão: 21-01-2022 às 07:00
Edição 20 Janeiro 2022
 

Falta de financiamento das organizações africanas a propósito da cimeira da comunidade económica da África Central.

Data de Emissão: 20-01-2022 às 07:22
Género(s): Comentário
 
Edição 19 Janeiro 2022
 

Poupança – lucro de 262 mil milhões.

pagamento em atrasos feitos pelo estado.

Data de Emissão: 19-01-2022 às 08:00
Género(s): Comentário
 
Edição de 18 de Janeiro de 2022
Data de Emissão: 18-01-2022 às 07:11
Género(s): ComentárioNoticiário
 
Edição de 17 de Janeiro de 2022

Banco de Fomento Angola (BFA)  diz que economia ainda vai crescer 3,9% em 2022

 

Centro de investigação económica da Universidade Lusíadas de Angola (Cinvestec,), fala do despesas ocultas do OGE

 

Índice da Transparência mostra que divulgação pública dos rendimentos dos políticos fortalece o combate à corrupção

 

Os países onde são conhecidos os bens dos servidores públicos lideram o Índice de Percepção de Corrupção e têm melhores ambientes de negocio. Por cá, as declarações de bens dos políticos e servidores públicos continuam “trancadas a sete chaves” e só podem ser desbloqueadas por ordem judicial e ainda assim o seu conteúdo fica em segredo de justiça.

 

 

 

 

Economia Sem Makas- Edição 14 Janeiro 2022

Visita do PR de Cabo Verde a Angola.

 

Balanço

Data de Emissão: 14-01-2022 às 16:00
Género(s): Comentário
Tópicos(s): PR de Cabo Verde
Edição de 13 Janeiro 2022
 

A inflação estabilizou em Dezembro, fechando o ano nos 27%, o pior ano desde 2016. Mas há sinais positivos. O aumento do preço da comida desacelerou registando o aumento mensal mais baixo desde Agosto de 2019

Data de Emissão: 13-01-2022 às 07:13
Género(s): Comentário
 
Edição de 12 Janeiro 2022
 

Activos recuperados 

Encerramento da ZAP Viva

  Encerramento da zap viva provasse que o governo não tem plano para os activos recuperados ou intervencionados

Data de Emissão: 12-01-2022 às 07:12
Género(s): Comentário
 
Edição de 07 Janeiro 2022
 

entrevista colectiva do PR

Abordagem mais política nomeadamente o modelo escolhido.

Data de Emissão: 07-01-2022 às 07:23
Género(s): Comentário
 
Edição de 11 Janeiro de 2022
 

Greve dos taxistas e atos relacionados

Causas e consequências  da greve

 Vandalismo em Luanda

 

Data de Emissão: 07-01-2022 às 07:19
Género(s): Comentário
 
Economia Sem Makas- Edição 6 de Janeiro de 2022

Reserva federal do banco central norte americano pode aumentar os juros mais cedo e a ritmo mais rápidos do que o imprevisto para combate a inflação 

Data de Emissão: 06-01-2022 às 07:17
 
 
Edição de 05 Janeiro 2022
 
Data de Emissão: 05-01-2022 às 07:10
Género(s): Comentário
 
Edição de 04 Janeiro 2022
 
Data de Emissão: 04-01-2022 às 07:24
Género(s): Comentário
 
Economia Sem Makas -Edição De 3 de Janeiro de 2022
Data de Emissão: 03-01-2022 às 08:00
Género(s): Comentário
 
Economia Sem Makas -Edição 29 de Dezembro de 2021
Data de Emissão: 29-12-2021 às 07:30
Género(s): Comentário
 
Edição 28 de Dezembro de 2021
 

Rede Multicaixa regista recorde de transacções

A rede Muiticaixa (ATM, TPA e MCX Express) registou, quinta-feira (23), um total de 5,4 milhões de transacções financeiras, com um pico de 200 movimentações por segundo, um número sem precedentes na história destes serviços.

 

Segundo um comunicado da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), no caso particular dos Terminais de Pagamento Automático (TPA), foram efectuados 1,8 milhões de operações de pagamentos, totalizando 26,5 mil milhões kwanzas, “inédito quando observada a série histórica dos pagamentos em TPA”. 

Em relação à actividade em ATM, a EMIS destaca o levantamento numerário fixado em 16,5 mil milhões kwanzas, diz o comunicado a que o Jornal de Angola teve hoje acesso. 

Quanto às transferências, foram registadas 414 mil operações, totalizando 43,1 mil milhões de kwanzas. Foram ainda registadas 271 mil operações de pagamento de serviços, perfazendo 11,9 mil milhões de kwanzas, com predominância do canal MCX Express.

“As estatísticas acima revelam uma procura recente por parte dos cidadãos quer por numerário como por pagamentos electrónicos. A EMIS está em coordenação com os bancos comerciais, a monitorar a situação, com objectivo de garantir que a oferta suficiente de numerário para que possam ser feitos levantamentos quer por via dos ATM como dos TPA”, lê-se no comunicado. 

Por outro lado, e dada a actual situação sanitária, caracterizada pelo aumento exponencial de casos positivos de SARS-COV-2, a EMIS apela que, aproximando-se o final do ano, os consumidores bancários procedam ao levantamento de numerário ao longo da próxima semana, evitando assim aglomerações no dia imediatamente anterior ao do fim de ano.

Data de Emissão: 28-12-2021 às 07:00
Edição de 24 de Dezembro de 2021

A Administração Geral Tributária (AGT) impõe o uso de selos fiscais em bebidas alcoólicas e tabacos, a partir de 1 de Março de 2022, no âmbito do Programa Nacional de Selagem Obrigatória dos produtos abrangidos pelo Imposto Especial de Consumo (IEC).

Data de Emissão: 24-12-2021 às 07:30
Edição de 22 de Dezembro de 2021
Edição De 20 De Dezembro de 2021

Temas 100 makas 20- 12-2021:
[ 1] Privatização BCI
[ 2] Conselho analisa sanções a Dino e Kopelip
[ 3] Bancos centrais aumentam juros
[ 4] Prova de vida detecta 77 mil falsos pensionistas em 147 mil
[ 5] Execução física do PRODESI não chega a 12%

Data de Emissão: 20-12-2021 às 08:00
Género(s): Comentário
Tópicos(s): BCIKopelipaprodesi
Economia Sem Makas- Edição de 17 De Dezembro.
Data de Emissão: 17-12-2021 às 07:15
Género(s): Comentário
 
Edição 14 de Dezembro de 2021
 

Inflação voltou a subir em Angola, segundo o relatório de Novembro do INE.

 

 

Data de Emissão: 14-12-2021 às 07:30
Edição de 13 de Dezembro de 2021
  • Questão da fome em Angola

 Estatística  da FAO sobre a Fome em Angola, fala em 5, 5 milhões Angolanos com Fome, cerca de 17 , 3 % da População Angolana. Angola tem cerca de 8, 4 % da fome na  África Austral.

 

  • Privatização do Banco de Comércio e Indústria (BCI), em leilão da Bolsa.

No âmbito do Programa de Privatizações (PROPRIV), o Instituto de Gestão de Ativos e Participações do Estado, enquanto entidade estatal responsável pela sua execução, deu início à privatização integral do Banco de Comércio e Indústria, SA (“BCI”), conforme homologado pelo Presidente da República Despacho nº 66/20, de 5 de maio de 2020.

 

  • Instituto Nacional de Estatística (INE) assina um memorando de entendimento com o Banco Nacional de Angola (BNA), que visa estreitar as relações entre os dois organismos públicos.
Edição de 10 Dezembro de 2021
 

Decisão do estado coloca general Dino e Kopelipa na lista negra pessoas com quem não se pode fazer negócios

Data de Emissão: 10-12-2021 às 07:26
Género(s): Comentário
 
Edição de 09 de Dezembro de 2021

Instrutivo de BNA que eleva o monatante diário de levantamento no multicaixa para 100 mil Kz

Edição de 08 de Dezembro de 2021
Edição de 07 de Dezembro de 2021

O Sistema de contratação pública representa em Angola um peso de 8% no Produto Interno Bruto (PIB) e 20% sob o Orçamento Geral do Estado (OGE). Estes números que remontam de 2020 foram avançados nesta sexta-feira, 3 de Dezembro, em Luanda, pelo Secretário de Estado para as Finanças e Tesouro Ottoniel dos Santos.

 Ottoniel dos Santos avança também que, até à data, foram desencadeados um total de 56 procedimentos pelo Sistema de Contratação Pública Electrónica, cujos resultados permitiram ao Estado uma poupança, até ao momento, superior a Kz 108 800 000 000,00 (cento e oito mil e oitocentos milhões de kwanzas), um ganho de 26% quando comparados os valores estimados e os valores contratualizados.

CNE vai abrir concurso público para contratar empresa de tecnologia 

Data de Emissão: 07-12-2021 às 07:30
Edição de 06 de Dezembro de 2021

Congresso UNITA ignorado pela comunicação social pública

Data de Emissão: 06-12-2021 às 08:06
Edição de 03 de Dezembro de 2021
Edição 02 De Dezembro.
 

Reformas massivas na TAAG fazem accionar alarme na aviação – Processo atinge dezenas de trabalhadores

Dezenas de trabalhadores «apanhados» num processo «brusco» de reforma. Funcionários alertam para riscos de desfalque em áreas técnicas e chamam atenção para a inobservância de procedimentos graduais de sucessão, o que deixa a empresa à mercê de quadros «em fase de aprendizado»

Data de Emissão: 02-12-2021 às 07:25
Género(s): Comentário
Tópicos(s): reformas massivas na TAAG
Edição de 01 de Dezembro de 2021

Revisão da Lei de bases da função pública concretamente da proposta do governo que prevê redução do horário de trabalho e aumento