Café da manhã com Margareth Nanga

Professora, formada em direitos Constitucional e Direitos Reais pela Universidade Católica de Angola

Data de Emissão: 29-11-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): BiéBrasilHuamboLuanda
Café da manhã com Jaime Morais
 

Jaime José monteiro de Morais aos 17 anos de idade, a 18 de Outubro de 1975, começou a sua vida profissional como locutor/reporter da Televisão Popular de Angola, na altura Rádio Televisão popular de Angola.

Data de Emissão: 22-11-2022 às 07:30
Café da manhã com Carlos Alberto Masseca

Cardeal Dom Alexandre do Nascimento. A unidade sanitária conta com equipamentos modernos e de última geração que garantem um melhor diagnóstico e tratamento de doenças cardio-pulmonares.

O director-geral do complexo hospitalar, o médico Carlos Alberto Masseca, assegura que os utentes encontrarão um serviço humanizado e de qualidade, com sentido de responsabilidade e patriótico.

O gestor hospitalar entende que a infraestrutura tem uma dimensão social, uma vez que se dedica ao tratamento de doenças, e uma dimensão política porque confirma o empenho e dedicação do Presidente da República em causas nobres dos angolanos, concretamente na melhoria das condições de saúde e do bem-estar da população.

O Complexo Hospitalar de Doenças Cardio-Pulmonares Cardeal Dom Alexandre do Nascimento ocupa uma área de 49.940 metros quadrados, sendo 34.770 metros quadrados com infraestruturas ampliadas e 11.907 metros quadrados com infraestrutura reabilitadas.

Neste espaço, há cinco edifícios de quatro pisos, um corpo de ligação, um edifício de formação com laboratório de simulações médicas, um edifício técnico e pavilhão anexo.

A unidade hospitalar têm 500 camas, das quais 90 com capacidade para realização de hemodiálise, bem como um serviço de telerarradiografia, que permite a interação com outros especialistas, incluindo do exterior do país, para um melhor diagnóstico.

Um laboratório de histocompatibilidade, o primeiro no país, também foi instalado no complexo hospitalar, que vai prestar serviços de alta complexidade nas especialidades de cirurgia cardíaca, vascular e toráxica, de cuidados intensivos, neurocirurgia, cardiologia, pneumologia, angiologia, obstetrícia, pediatria, medicina interna, endocrinologia; neurologia, nefrologia, gastrenterologia; alergologia; reumatologia; infecciologia; oftalmologia; otorrinolaringologia e de urologia.

O antigo Hospital Sanatório de Luanda, transformado em Complexo Hospitalar de Doenças Cardio-Pulmonares, começou a ser reabilitado e ampliado em Março de 2018, depois da visita do Presidente da República, João Lourenço, em Dezembro de 2017, em que constatou o seu estado avançado de degradação.

No fim da visita, o Presidente da República orientou a reabilitação imediata, ampliação e apetrechamento do hospital para dar maior dignidade aos pacientes e aos funcionários.

Data de Emissão: 15-11-2022 às 07:30
Café da manhã com Manuel Rodrigues Boal
Manuel Rodrigues Boal. Natural da Muxima, nascido em Maio de 1934. Foi membro do corpo voluntário Angolano de assistência aos refugiados, um estrutura que teve como cede o Congo Kinshasa, fez parte da famosa FUGA DOS 100. 
Data de Emissão: 08-11-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
 
Café da manhã com Lussinga Kassungo Mutu Ya Kevela Jamba Seteco
CAFÉ DA MANHA COM Lussinga Kassungo Mutu Ya Kevela Jamba Seteco, filha de Jaka Jamba. Ela vem falar do livro, Armalindo Jaka Jamba – Ecos de Colina.
Neste livro em interlóquio, a juventude encontrará um exemplo de determinação, coragem e fidelidade aos ideais nobres de amor à Pátria, aos concidadãos e compatriotas, sem discriminação das cores políticas. Uma lição de coerência de pensamento…
Data de Emissão: 01-11-2022 às 00:07
Género(s): Entrevista
 
Café da manhã com Major-General Raul Cunha
Ele é, orgulhosamente, natural do Maputo-Moçambique, então colónia de Portugal.
Hoje Major-General do Exército de Portugal, na reforma, Raúl Luís Cunha, é o meu convidado no Café da Manhã.
Mestrado em Ciências Militares e doutorando em História e Estudos de Segurança e Defesa, foi Conselheiro Militar do Representante Especial do Secretário Geral da ONU no Kosovo.
Incidiu a sua carreira nas Forças Especiais do Exército-Operações Especiais, Comandos e Paraquedistas.
Prestou serviços na “European Community Monitoring Mission in Yugoslavia, serviu na área das Forças Europeias, no EUROCORPO E EUROFOR.
Esteve colocado no “NATO Joint Analysis and Lessons Learned Center”.
 
Data de Emissão: 25-10-2022 às 07:00
Café da manhã com Elias Miguel historiador e conhecedor da Luanda antiga

Café da manhã, Elias Miguel. Homem conhecedor da Luanda antiga.

Data de Emissão: 18-10-2022 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Manuel Homem
Café da manha, Agostinho Raimundo de Sousa e Santos

Café da manha, Agostinho Raimundo de Sousa e Santos. Natural de Malanje. Foi Secretário de Estado das Obras Públicas, foi Secretário de Estado de Matérias de Construção, Director Nacional das Obras Públicas.

Data de Emissão: 11-10-2022 às 07:31
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Brito JuniorCoto CabralFNLAMINAMPLARoberto de Almeida
Café da manha, Edição com Guilherme Mogas

Guilherme Ysenbout Mogas, aos 70 anos, tem uma vida tão preenchida de realizações e peripécias que dava para escrever uma bem nutrida autobiografia ou um livro de memórias. Inventor certificado, patentou, entre outras invenções, um “sistema de visão para cegos”, um “colchão ventilável”, um “sistema de segurança por infravermelhos ou ultra sons para viaturas especialmente automóveis contra acidentes” e, mais recentemente, um “dispositivo de combate a incêndios” na forma de um drone, que está em fase avançada de testes em Portugal para sua eventual adopção pelos Bombeiros.

Em 1971. Quando surge o 25 de Abril de 1974 eu estava  na Rádio, na área técnica, e depois faço a transição para Angola Independente. 

criámos um grupo de inventiva na RNA, que tinha essa capacidade de arranjar soluções. No grupo havia o Domingos das Neves, que comungava muitas das minhas ideias e era um técnico brilhante, que deu muita ajuda numa altura em que era precisa muita criatividade. Muitos de vós estão a sentir agora o que é a guerra através do que se diz da Ucrânia… Na guerra a primeira coisa que acontece são os cortes de energia e do abastecimento de água. Sabe o que é fazer radodifusão em Angola com 22 emissoras sem energia eléctrica? Foi preciso uma dose muito grande de resiliência. Quando eu era director e ia para as províncias eu costumava dizer que era um mendigo, no bom sentido, de gasóleo. Eu saía directo do avião para a delegação da Sonangol pedir “por favor, queremos gasóleo, queremos gasóleo”, porque era tudo feito a gasóleo. E a Sonangol para pôr em determinadas províncias gasóleo era muito complicado. E sabe que a dada altura houve uma sabotagem na refinaria de Luanda, que ardeu durante vários dias… Enfim, era um objectivo militar. A situação esteve mesmo complicada. Nesse ambiente fazer radiodifusão exigia uma imaginação muito grande e eu tinha aquele grupo de pessoas com enorme criatividade. Conseguimos resistir e transformar a RNA no que é hoje.

Aos 70 anos fui promovido a coordenador. Eu e a Luísa Fançony somos os coordenadores do projecto. Os jornalistas, de uma maneira geral, e os que estiveram connosco nessa “aventura” desde a Independência até 1992 diziam-nos sempre que tínhamos que deixar um legado às novas gerações e que nós é que tínhamos a autoridade moral e a capacidade de coordenar porque estivemos em todos os momentos. Infelizmente muitos dos nossos companheiros que também fizeram essa trajectória já faleceram e coincidentemente somos dos poucos que estão vivos. Olha que no lançamento do livro encontrei o meu grande amigo Lucrécio de Jesus Martins da Cruz. Nos autógrafos do livro fui escrevendo “Fui o culpado”, “Assumo, fui o culpado”…

 

Culpado de quê?

Porque apareceram pessoas que diziam “O senhor Mogas foi o culpado de eu ter ficado na Rádio e ter feito a trajectória que fiz”… Foi-nos pedido por alguns jornalistas que coordenássemos a obra, que tem depoimentos dos que fizeram toda aquela gesta da RNA. Depois do livro feito e após algumas situações que vivi, cheguei à conclusão que devíamos ter feito um capítulo dedicado ao apoio que nós demos aos movimentos de libertação da África Austral e não só. Incrivelmente, no dia 5 de Outubro passado recebi uma mensagem, que para mim é muito comovente, de Timor Leste, a dizer “é o vosso dia e o povo maubere quer agradecer…” Para mim que saí da Rádio há trinta anos! O programa da FRETILIN [Frente Revolucionária de Timor Leste Independente] era feito cá e ia para o ar em ondas curtas. Tive também um incidente, que para mim foi uma espécie de certificado de habilitações, quando há cerca de quatro ou cinco anos visitava a África do Sul com a família, em turismo. Fui visitar a cadeia onde Mandela esteve preso, na ilha de Robben. Quem fazia de guia eram antigos colegas de cárcere de Mandela. Éramos um grupo de montes de turistas, principalmente europeus e americanos. Depois de se fazer a visita o guia perguntou “quem tem dúvidas?”. Toda a gente perguntou coisas das mais díspares e eu só fiz uma pergunta: “Vocês ouviam o programa radiofónico do ANC?”. E ele respondeu: “No meio das restrições que tínhamos aqui, era a única luz ao fundo do túnel”. E perguntei mais: “Vocês sabem onde é que era emitido o programa do ANC?”.  “Da África do Sul é que não, senão as autoridades do apartheid localizavam e partiam tudo”, respondeu o guia. Então expliquei: “O programa era emitido de Angola, da Rádio Nacional de Angola e eu era o director”. O senhor meteu o dedo no ar e disse, com lágrimas nos olhos: “Tu ajudaste a nossa libertação!”. Abraçou-me e todos aqueles turistas não conseguiam perceber o que se passava. Isto é o maior certificado de habilitações que eu transmito aos meus filhos. É que estivemos do lado certo da História.

 

Data de Emissão: 04-10-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): FNLALACLuisa FançonyRNA
Café da manhã com Dárdano Santos

Dárdano Santos nasceu em Angola, viveu e trabalhou em Portugal, e regressou a Angola para realizar o sonho de inspirar apaixonadamente as pessoas.

Tem sido através da “Causa” que acredita e dos desafios que tem abraçado enquanto empreendedor, que tem ajudado as pessoas a descobrir uma Vida Plena no seu máximo potencial.

Acredita que o mundo forma líderes, mas por vezes desvaloriza a maior força que existe na formação de um líder e das organizações: os seus seguidores. Haverão bons líderes sem bons seguidores?

No seu mais recente livro “A Arte de Seguir Alguém”, com edições em Angola e Moçambique pela Plural Editores, explora este conceito, transmitindo a sua visão.

Como Social Entrepreneur, Leadership Speaker e Writer tem participado em diferentes eventos como o
Tedx Luanda 2013, a Conferência da Elite Careers e a conferência da CPLP sobre Empreendedorismo.

É certificado e acreditado como Coach pela International Coaching Community, e tem certificações em Desenvolvimento da Gestão Socialmente Responsável e em Directrizes sobre Responsabilidade Social e Desenvolvimento Sustentável.

Tem um percurso profissional transversal a várias áreas de negócio, como: banca, áreas comerciais, formação, “falar” em público e desenvolvimento pessoal.

Foi Director da Direcção de Mecenato e Investimento Social, Projecto LOGOS e Negócio Institucional do Banco Privado Atlântico.

Keynote Speaker, Social Entrepreneur, fundador da Conferência Internacional de Liderança Move Angola e MOVE+ mentor de líderes e autor do livro “A Arte de Seguir Alguém”, com edições em Angola e Moçambique.

Desempenhou funções como Assessor da Administração na Academia BAI e como Director do Gabinete de Comunicação e Marketing.

Actualmente é Director de Comunicação e Imagem na WeeConnect.

Data de Emissão: 27-09-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
 
PARTICIPANTES
Café da manhã Margareth Galho Platon

Formada em Direito do Mar e Ciência Política.

Data de Emissão: 20-09-2022 às 07:30
PARTICIPANTES
Café da manhã com Caetano de Sousa

Em 1992, criou-se o Conselho Nacional Eleitoral, primeira organização eleitoral que fez as eleições de 1992. Começámos por denominá-lo de Conselho. Depois, em 2005, por aí, é que se criou a Comissão Nacional Eleitoral. Portanto, eu fui o presidente do Conselho, inicialmente, e, depois, também fui nomeado presidente da Comissão Nacional Eleitoral. Em 1992, era a primeira vez que nós fazíamos eleições. Tivemos que fazer processos de sensibilização, nomeadamente, aos partidos políticos, sendo que nenhum deles, grandes e pequenos, estava preparado para essa situação, razão pela qual tivemos que fazer esse trabalho. Trabalhámos muito activamente com os partidos políticos e, é claro, os partidos mais organizados, sempre se desenvolveram. Nós fizemos várias acções, quer em Luanda, quer nas outras províncias, e tivemos a sorte de organizar as eleições, que, no nosso entender, correram bem e de forma organizada. Tivemos a colaboração das Nações Unidas e de outros países.

Data de Emissão: 26-07-2022 às 07:30
PARTICIPANTES
Café da Manha com Luzia Inglês
 

Luzia Pereira de Sousa Inglês Van-Dúnem (Luanda, 11 de janeiro de 1948) é uma militar e política angolana. Filiada ao Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), é deputada de Angola pelo Círculo Eleitoral Nacional desde 28 de setembro de 2017. Desde 1999, é a secretária-geral da Organização da Mulher Angolana (OMA).

Van-Dúnem nasceu em Luanda, capital de Angola, em janeiro de 1948, sendo filha do reverendo metodista Guilherme Inglês. Em 1961, Guilherme foi assassinado por forças coloniais no rescaldo da Revolta de 15 de Março. Em 1967, Van-Dúnem mudou-se para a República do Congo, estudando no Liceu 4 de Fevereiro. Entre 1969 e 1970, frequentou um curso militar de rádio e telecomunicações na União Soviética. Em 1973, tornou-se chefe da Estação de Comunicações da Cassamba.

Em 1974, Van-Dúnem retornou para a Angola no mesmo avião do Presidente Agostinho Neto. Durante a Guerra de Independência de Angola, foi operadora radialista nas 2ª e 3ª regiões político militar. De 1976 a 1991, chefiou o centro de comunicações do comandante em chefe das Forças Armadas Angolanas.

Van-Dúnem casou-se com Afonso Van-Dúnem M’binda, antigo embaixador angolano na Organização das Nações Unidas (ONU), tendo quatro filhos. Quando Afonso foi designado embaixador em 1991, Luzia coordenou o Grupo de Mulheres Africanas na ONU. Em 1999, Van-Dúnem foi eleita secretária-geral da Organização da Mulher Angolana (OMA), a ala feminina do MPLA, sendo sucessivamente reeleita para o cargo.

Em 2014, tornou-se a primeira mulher angolana a ser promovida ao posto de oficial general das Forças Armadas Angolanas; a promoção foi decretada pelo Presidente José Eduardo dos Santos. Nas eleições gerais de 2017, Van-Dúnem foi eleita deputada de Angola pelo Círculo Eleitoral Nacional. O MPLA havia colocado-a como a mulher na melhor posição de sua lista de candidatos.

Data de Emissão: 12-07-2022 às 07:30
Café da manha com José António Lopes Semedo

José António Lopes Semedo é mestre em Direito e entre 1971 e 1984 foi professor primário e secundário. No período que vai de 1971 e 1993 foi docente e regente das cadeiras de Direito Internacional Privado, Direito Comercial Internacional e Arbitragem na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto. Entre 2004 e 2017 exerceu as funções de Reitor da Universidade Gregório Semedo, das quais se desvinculou, por ter sido eleito deputado à Assembleia Nacional.

Como jurista exerceu vários cargos, entre os quais o de procurador militar das Forças Armadas, entre 1977  e 1984, trabalhou ainda na secção dos Assuntos Jurídicos do Bureau Politico do MPLA, entre 1986 e 1991, e entre 1991 e 1993 foi conselheiro jurídico do Governo de Angola nas negociações do processo de paz com a UNITA, tendo pertencido ainda à Comissão de Elaboração da Lei Constitucional. 

O antigo reitor da Universidade Gregório Semedo, José António Lopes Semedo, foi distinguido, em Luanda, com o grau de Doutor Honoris Causa, pelo seu trabalho enquanto promotor e primeiro reitor daquela unidade académica, bem como pela sua contribuição científica a nível do ensino superior, do direito em particular e do desenvolvimento da jurisprudência angolana.

 
Data de Emissão: 05-07-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
 
Café da manhã com Carlos Cunha
 

Num dia de Dezembro de 1951 nasce José Carlos Teixeira Gil Cunha ou simplesmente Carlos Cunha. Mãe de Pungo Andongo e pai português, Malanje é a terra que o viu nascer e nela dedica especial carinho como filho e hoje também empresário. É com este homem, da geração do basquetebol de Malanje, do célebre e inesquecível “..abraço histórico..

Data de Emissão: 28-06-2022 às 00:00
Género(s): Entrevista
 
Café da Manhã com Roberto Leal Monteiro Ngongo

Foi vice-ministro da Defesa até 2006, quando foi escolhido pelo Presidente da RepúblicaJosé Eduardo dos Santos, a ser o Ministro do Interior.

Ngongo foi demitido do Cargo a 27 de setembro de 2010, pelo Presidente, depois do episódio que gerou a crise diplomática entre Angola e Portugal, quando o Ministro mandou os agentes angolanos prender o empresário português Jorge Oliveira (que estava refugiado em São Tomé e Príncipe, outro país lusófono), acusado de fraude, no final de 2009 para o mandar de volta para Angola.

Na época, o caso recebeu duras críticas aos Governos português e são-tomense, pois não houve pedido de extradição.

Depois de o Ministério do Interior ter reconhecido “o grave erro em que incorreu”, ao mandar prender um criminoso português que se encontrava em liberdade num terceiro país, a Casa Civil do Presidente da República, anunciou que o Presidente demitiu o ministro.

Atualmente é deputado á Assembleia Nacional pelo partido MPLA, sendo o presidente da segunda comissão parlamentar (Comissão de Defesa, Segurança, ordem interna e antigos veteranos da pátria).

Data de Emissão: 20-06-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Eleições Gerais 2022
Café da Manhã com Édson Santos de Souza

Édson Santos de Souza (Rio de Janeiro21 de julho de 1954) é um sociólogo e político brasileiro filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). Entrou para a política filiado ao Partido Comunista do Brasil em 1985, transferindo-se para o Partido dos Trabalhadores em 1994 por onde foi deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro. Durante sua carreira política, foi vereador da cidade do Rio de Janeiro, sendo eleito vice-presidente da Câmara de Vereadores.

Foi eleito Deputado Federal em 2006 e reeleito em 2010, porém não conseguiu se reeleger novamente em 2014.

Tem histórico de participação em decisões para igualdade racial, tendo sido, entre 2008 e 2010, Ministro-Chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

Nasceu no bairro do Horto, no Rio de Janeiro. Cursou Ciências sociais na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) no início da década de 1980, quando foi diretor da União Nacional dos Estudantes. Também foi presidente do Conselho de Moradores da Cidade de Deus, onde viveu por mais de dez anos.

Foi filiado ao Partido Comunista do Brasil de 1985 a 1994, quando se filiou ao Partido dos Trabalhadores. É membro do Diretório Nacional desta legenda desde 2006. Foi vereador da cidade do Rio de Janeiro de 1989 a 2006, por quatro mandatos consecutivos. Foi vice-presidente e presidente da Comissão Permanente de Transportes e Trânsito da Câmara de 1993 a 1996. Em 1998 fez mestrado em administração de empresas no Instituto Alberto Luiz Coimbra da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi eleito segundo vice-presidente da Câmara de Vereadores em 2005 e também presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Moradia Popular. Participou de 16 Comissões parlamentares de inquérito. Aprovou a lei que criou o Conselho Municipal de Política Urbana (COMPUR), a lei que instituiu o Feriado Municipal de Zumbi dos Palmares, em 20 de novembro, e a lei da meia-entrada para estudantes em eventos culturais.

Foi canditado a senador pelo estado do Rio de Janeiro em 2002, tendo recebido cerca de 1,8 milhão de votos, ficando em quarto lugar, à frente de nomes como Artur da Távola e Leonel Brizola. Em 2006, foi eleito deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores. Em 2007, foi responsável pela instalação do monumento a João Cândido, líder da Revolta da Chibata, nos jardins do Museu da República, de costas para o Palácio do Catete e de frente para o Atlântico. Em 2008, enquanto disputava a pré-candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro, foi escolhido pelo governo federal para assumir a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Substituiu Matilde Ribeiro, envolvida no escândalo dos cartões corporativos.

Em 31 de março de 2010, deixou o Governo para concorrer ao cargo de Deputado federal, tendo sido eleito para mandato na Câmara dos Deputados, em Brasília, até 2014. Nas eleições de 2014, concorreu à reeleição como Deputado federal, mas não logrou eleger-se.

Data de Emissão: 14-06-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
 
Café da manhã com o escritor Dario de Melo

Edição especial em homenagem ao escritor Dario de Melo, pelo seu passamento físico dia 05 de Junho de 2022 . 

 

O escritor Dario de Melo, considerado o pai da literatura infantil angolana, morreu domingo, na cidade de Benguela, sua terra natal, vítima de doença, aos 85 anos.

Homem das letras, Dario de Melo foi cronista, editor no Instituto Nacional do Livro e do Disco, professor, inspector escolar, radialista, funcionário do Ministério da Informação e gerente agro-pecuário.

Em reacção à morte do escritor, a esposa Elizabete Maria Pereira considerou ser um duro golpe, tendo recordado as crónicas de autoria do marido que eram lidas todas as quartas-feiras no programa “Boa Noite Angola” da Rádio Nacional de Angola (RNA). “Dario deixou escritos que não foram lidos e que vão ficar para recordação apenas”, disse Elizabete Maria Pereira, sublinhando que “ele partiu mas foi muito feliz, pois deixou grandes amizades em Angola e no mundo”. 

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Filipe Silvino de Pina Zau, em nota de condolências, refere que foi com profunda dor e consternação que tomou conhecimento do passamento físico do escritor Dario de Melo, ocorrido domingo, na cidade de Benguela, por doença. “Nesta hora de dor e luto, o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Filipe Silvino de Pina Zau, em nome de todos os seus colaboradores, endereça à família enlutada os sentimentos de pesar”,refere a nota. 

O Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS) lamentou, ontem, a morte do jornalista, escritor e professor, Dario de Melo, ocorrida domingo, na província de Benguela, vítima de doença.

Em mensagem de condolências, o MINTTICS destaca as várias funções exercidas por Dário de Melo, como de inspector escolar, editor no Instituto Nacional do Livro e do Disco, bem como a de funcionário do Ministério da Informação, de 1992 a 1994.

Neste momento de dor e luto, o ministro Manuel Homem, em seu nome próprio e do colectivo de trabalhadores do MINTTICS, endereça à família enlutada, amigos e colegas os mais sentidos sentimentos de pesar.

O secretário-geral da União dos Escritores Angolanos (UEA), David Capelenguenha, que confirmou ao Jornal de Angola a morte do confrade, afirmou que Dario de Melo é um dos nomes mais sonantes da literatura infantil angolana, escritor, jornalista e cronista, nome importante da literatura angolana”.

De acordo com o secretário-geral da UEA, Dario de Melo morreu na cidade que o viu nascer, Benguela “foi onde passou os seus últimos anos de vida e é um grande constrangimento para nós, um membro muito activo, uma pessoa dedicada e en-gajada para a actuação da União dos Escritores Angolanos, tendo exercido de 1992 a 1994 a função de presidente da Mesa da Assembleia-Geral”.

O líder da associação cultural mais antiga continua “quanto a mim, particularmente, eu tinha uma grande afeição, uma aproximação com ele, lembro-me que há coisa de duas semanas passou por Luanda mas infelizmente não nos encontramos. Tínhamos contacto permanente, em Outubro do ano passado ligou para mim a pedir a chancela da União dos Escritores Angolanos para publicar o livro infantil  que estava a concluir”.

Na verdade, lamentou David Capelenguenha, estamos na situação muito constrangedora e porque sabemos que cada vez mais a União dos Escritores vai perdendo alguns dos membros, nos últimos três anos perdemos qualquer coisa como cinco membros. É uma tristeza muito grande e neste momento de dor e luto quero manifestar em meu nome e da União endereçar à família enlutada, aos amigos e colegas os meus sentimentos de pesar.

O escritor Gociante Patissa lamentou o infortúnio nos seguintes termos: “calou-se uma reserva moral. Com a partida de Dario de Melo fica cada vez mais pobre todo o processo histórico e intelectual. Dario de Melo desdobrou-se em muitos papéis desde a cultura ao jornalismo entre outros, o seu testemunho fica marcado junto daqueles que sempre souberam lidar com ele”.

Já a escritora para crianças Marta Santos, com a voz trémula, frisou: “Dario de Melo foi o meu mestre e para mim é o Pai da Literatura Infantil e com muita pena não pude despedir-me dele nestes últimos dias que passou por Luanda. É um grande exemplo para nós, infelizmente nos últimos dias foi esquecido, algo que tem acontecido com muitos que fazem cultura, eu penso que as pessoas devem ser homenageadas e reconhecidas em vida”.

A escritora continuou: “Peço que nesta hora façam uma merecida homenagem. Ele será sempre lembrado por mim porque acreditou e editou o meu primeiro livro, hoje sou escritora e devo-lhe. Quando fui homenageada internacionalmente ele manifestou a satisfação, hoje confirmei esta triste notícia, falei com os familiares e espero que Dario de Melo descanse em paz e com luz do Senhor”.

Dario de Melo tem as im-pressões no movimento da literatura e canção infantil ao lado de Cremilda de Lima, Gabriela Antunes, Octavi-ano Correia, Carlos Ferreira “Cassé”, Filipe Zau e outros que nos primeiros anos da independência envolveram-se no projecto da criação do Homem Novo. Na literatura infantil encontramos “Estórias do Leão Velho” (1985), “Vou Contar” (1988), “Aqui, mas do Outro Lado” (2000) e “As Sete Vidas de um Gato” (2002), com o qual obteve o prémio PALOP-1998 de Língua Portuguesa de Literatura Infantil. Em poesia publicou um livro, intitulado “Onda Dormida”.

Dario de Melo nasceu a 2 de Dezembro de 1935 em Benguela, cidade em que morreu a 5 de Junho de 2022. Exerceu várias profissões como a de docente, inspector escolar, editor no Instituto Nacional do Livro e do Disco e funcionário do Ministério da Informação. Enquanto jornalista, trabalhou na rádio, foi director da Voz do Bié, em 1972, da Tveja (Revista de Televisão Pública de Angola), em 1983, do Jornal de Angola e do Correio da Semana (que fundou juntamente com Manuel Dionísio), em 1991, e do Jornal Jango, em 1992. Também publicou diversos artigos na imprensa.

 

 

Data de Emissão: 07-06-2022 às 07:30
PARTICIPANTES
Café da Manhã com Manuel Bernardo Junbior (Mambelé)

 Café da Manhã com Manuel Bernardo Junior (Mambelé). Dedicou a sua juventode a luta de libertação Angolana, foi preso no campo de São Nicolau na altura da clandestinidade. 

Data de Emissão: 31-05-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
 
PARTICIPANTES
Café da manhã com Manuel dos Santos Lima

Manuel dos Santos Lima nasceu a 28 de janeiro de 1935, na província do Bié, em Angola. O seu pai era oriundo de São Tomé, facto que marcará a sua obra Sementes da Liberdade.

Desde jovem que o autor se destaca apresentando-se como o primeiro classificado no exame de quarto ano. Aos doze anos, foi para Lisboa estudar no liceu Camões e, posteriormente, estudar na Faculdade de Direito (1953). Foi colega de Francisco Sá Carneiro, Jorge Sampaio e Pinto Balsemão. Todavia, o desencanto conduziu-o a desistir de Direito.

Participou no primeiro congresso de escritores e artistas negros, em Paris, em 1956. Trabalhou com Senghor e Cesaire na Présence Africaine.

Santos Lima foi o primeiro oficial negro do exército português, mas desertou para lutar pela independência de Angola. Desertou em Damasco, seguindo depois para Beirute, onde havia um núcleo nacionalista angolano, dirigido por Marcelino dos Santos. Coube-lhe a formação do Exército Popular de Libertação de Angola.

Entre 1961 e 1963 participou na Guerra Colonial. Porém, resolve deixar o MPLA por divergências com a liderança de Agostinho Neto. Entre 1963 e 1968, estudou Literatura Comparada, na Suíça e a sua tese foi sobre a obra de Castro Soromenho (1975), seu amigo pessoal. A tese foi escrita entre o Canadá e a Suíça

Leccionou no Canadá até 1982. Ensinou Literatura portuguesa, francesa e espanhola. Leccionou em Rennes, durante 20 anos, e em NantesLisboa (Universidade Moderna) e Angola (Universidade Lusíada). Encabeçou o MUDAR – Movimento de Unidade Democrática para a Reconstrução – partido oposicionista do regime – sendo convidado para o fazer ainda em Rennes, em 1991.

Actualmente vive em Portugal.


Obras escritas por Manuel dos Santos Lima:

  • Kissange (1961) – volume de poesias,
  • A Pele do Diabo (1977; “The Skin of the Devil”) – a peça do teatro,
  • As Sementes da Liberdade (1965; “The Seeds of Liberty”) – o primeiro romance,
  • As Lagrimas e o Vento (1975; “Tears and Wind”) – o romance,
  • Os anões e os mendigos (1984; “Dwarfs and Beggars”) – o romance.


As Sementes da Liberdade (1965; “The Seeds of Liberty”)

O seu primeiro romance foi publicado no Brasil com a ajuda de Jorge Amado, que o enviou a Ênio Silveira, da Civilização Brasileira. O objetivo principal deste romance era apresentar brancos e negros como vítimas do sistema colonial. De forma episódica, discute-se os costumes, as realidades sociais e a aculturação, que está ligada ao choque de culturas no ambiente rural africano. O autor recria as realidades de animosidades raciais e sociais a partir de uma perspetiva original. O autor conta a história do confronto cultural e da mudança social. O autor apresenta a história de três gerações através do processo de uma volta às raízes africanas e pelo motivo da terra que é o importante para os africanos.

As Lagrimas e o Vento (1975; “Tears and Wind”)

Após a independência em Angola, o autor Manuel dos Santos Lima publicou o seu segundo romance, que demonstrou melhorias consideráveis no domínio das técnicas narrativas. A história é contada por um oficial de guerrilha, que desertou do Exército Português. Este romance permaneceu inédito até a conquista da independência.


Os anões e os mendigos (1984; “Dwarfs and Beggars”)

O romance metaforiza a população angolana (e africana, em geral) em anões, e os dirigentes em mendigos. O romance mostra o destino de Davi Demba como o líder, embora hesitante, da libertação da Costa da Prata. Este, após a consumação da independência, personaliza o poder e instaura, ao longo da narrativa, o que a dedicatória e as epígrafes do livro anunciam: a não independência de países africanos, a destruição de sonhos, o totalitarismo, as lutas fratricidas, os crimes e as vinganças.

Data de Emissão: 24-05-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
 
PARTICIPANTES
Café da Manha com Manuel Alegre
 

Por ocasião de mais um ano da revolução dos Cravos, o Café hoje é com Manuel Alegre.

Homem de Cultura, Formado em direito, foi atleta de natação, Fez a sua vida militar em Angola pelo exercito Português onde viria a ser Preso em Angola, Jornalista por 10 anos.

Data de Emissão: 26-04-2022 às 07:00
Café da Manhã com Drª. Manuela Sande

Café da Manhã com Drª. Manuela Sande, Especialista em Endocrinologias e Bioquímica Clinica, professora Universitária.

Data de Emissão: 19-04-2022 às 07:00
Café da Manha com João Pinto
 
Político e docente universitário, João Pinto Manuel Francisco é o convidado do Café da Manhã da LAC. Fiel às suas convicções, o hoje deputado à Assembleia Nacional, fala, obviamente, do momento político e da sua visão sobre assuntos diversos através de uma abordagem directa.
Data de Emissão: 12-04-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
 
Café da Manha com General Facho
 

Sinais do tempo e marcas de guerra. E quase que tudo se resume na Medalha de Mérito Militar de Primeira Classe. Mas há muito mais na vida de Francisco Deolindo da Rosa. Nascido em Nambuangongo(08.04.47), oriundo de uma família humilde, o hoje General na reforma, carrega ,no corpo e na alma, as marcas mais profundas de acontecimentos registados na história de Angola. Foram muitas as batalhas para o pouco tempo do Café da Manhã. Mas estaremos no essencial de um percurso entre duas grandes guerras: anti-colonial e civil. Das emboscadas dos maquis às batalhas de Kifangondo e Cuito Cuanavale, na versão e vivência do General Facho, seu nome de guerra!

Data de Emissão: 05-04-2022 às 07:00
Café da Manhã com Paulo Gaspar de Almeida

Café da manha com Paulo Gaspar de Almeida, Ex. comandante geral da Policia Nacional.

Data de Emissão: 29-03-2022 às 07:00
Género(s): Entrevista
 
PARTICIPANTES
Café da manhã com Ana Margoso
 
Hoje o café foi tomado com Ana Gonçalves da Silva ou simplesmente Ana Margoso.
Nascida em Luanda, Filha de um veterano da luta de libertação nacional, o lendário comandante Margoso, Ana, lembra momentos passados com o pai, desvenda mistérios, fala do presente e futuro, da política ao jornalismo.
PARTICIPANTES
Café da manha com Irene Graça
 

Irene Graça-Dir. do Capital Humano do BAI. Angolana, Formada em Psicologia e recursos humanos, Formou-se nos EUA, Trabalhou na CHEVRON, deu aulas na escola Mutu -ya-kevela, dentre as suas paixões consta a Fotografia.

Data de Emissão: 15-03-2022 às 07:00
Género(s): Comentário
 
PARTICIPANTES
Café da manha com Elias Dia Kimuezo

Café da manha com Elias Dia Kimuezo

Data de Emissão: 01-03-2022 às 07:00
Género(s): Entrevista
 
PARTICIPANTES
Café da manhã com Com. Luís Prata

Café da Manhã com Comandante Prata.

Café da Manhã com Rui Falcão Pinto de Andrade
Café da Manha com Manuel Pinto da Costa
Café da Manhã com Lazarino Poulson

Lazarino Poulson é o convidado a edição do café da manhã.

Formado em Direito pela Universidade A. Neto, Pós Graduado em Direito de comercio Internacional, Mestrando na área do Direito público pela Universidade Clássica de Lisboa, e foi Docente das Universidade  António Agostinho Neto e Lusíadas de Angola

.

Entrevista com Manuel António Gonçalves

Edição com Manuel António Gonçalves, Dir. Provincial da Cultura de Luanda-Turismo, juventude e Desporto.

Data de Emissão: 25-01-2022 às 07:00
Entrevista com Manuel Rui Monteiro
Manuel Rui Monteiro escusa apresentações. Mais que uma entrevista, conversa com o escritor e homem de direito. Manuel Rui.
Data de Emissão: 18-01-2022 às 07:30
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Manuel Rui Monteiro
Café da Manhã com Aurelio Le Bom

Aurelio Le Bom, Figura de Grande referencia em da República de Moçambique, Fez parte do 5º Regimento de Comandos do Exercito Portugues, no tempo Colonial.

Data de Emissão: 14-12-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
 
PARTICIPANTES
Entrevista com Ramos Dias
 

Café da Manhâ de hoje, 07 de Dezembro, trás a entrevista a Ramos Dias, Um Nacionalista São Tomense.

Data de Emissão: 07-12-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): São Tomé
Café da Manhâ com Maria Nazaré de Sousa

Maria Nazaré de Ceita, Nasceu em São Tomé e Princepe, E viveu alguns anos em Angola. Historiadora e Docente Universitária.

Data de Emissão: 30-11-2021 às 07:00
Café da Manhã com Mbeto Traça
 
PARTICIPANTES
Café da Manhã, Edição com Maria das Neves Ceita Baptista de Sousa

Café da Manhã, Edição com MARIA DAS NEVES CEITA BAPTISTA DE SOUSA, é hoje uma mulher com espaço afirmado na vida política da República de S.Tomé e Príncipe. A actual candidata derrotada nas últimas eleições presidenciais, cedo militou na vida política pelo MLSTP – Movimento de Libertação, foi Vice-presidente da Assembleia Nacional e Primeira-ministra. 

Data de Emissão: 16-11-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): MARIA DAS NEVES CEITA BAPTISTA
Café da Manhã, Edição com Elisa Viera

Café da Manhã, Edição de 09 de Novembro, com ELISA VIERA. Hoje Professora na Universidade Eduardo Mondlane, em Moçambique, filha de Nino Vieira, antigo Presidente da Guiné Bissau, morto e esquartejado diante da esposa, concede, pela primeira vez na vida da família, uma entrevista onde fala dos principais momentos vividos ao lado do pai, as últimas conversas mantidas e o que aconteceu depois da morte.

Data de Emissão: 09-11-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): ELISA VIERAfilha de NINO VIEIRA
PARTICIPANTES
Café da Manhã com Alberto Joaquim Chipande

Café da Manhã com de 26 de Novembro de 2021, com ALBERTO JOAQUIM CHIPANDE, Nascido a 10 de Outubro de 1939, é uma figura no centro da história moçambicana dos últimos 60 anos. Autor, segundo consta, do primeiro disparo que marcou o início da luta armada de libertação nacional, é um General reformado muito respeitado e um grande articulador político,membro da Frelimo.  

Data de Emissão: 26-10-2021 às 07:00
Género(s): Noticiário
Tópicos(s): ALBERTO JOAQUIM CHIPANDE
PARTICIPANTES
Café da Manhã com Alda Bandeira

Café da manhã edição de 19 de Outubro de 2021, Edição com Alda Bandeira, Politica nascida em S.Tomé e com uma passagem por Angola onde fez os seus estudos Primarios entre 1972/74, foi membro do Movimento de Libertação de S.Tomé e princepe, chegou a ser Ministra dos Negocios Estrangeiros.

Data de Emissão: 19-10-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Alda BandeiraSão Tomé
Café da Manhã com Aniceto Amukuaia

Café da Manhã, Edição de 12 de Outubro de 2021, com Aniceto Amukuaia, Politico Estudioso e Advogado. 

Data de Emissão: 12-10-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Aniceto Amukuiaia
Café da Manhã com Aurelho Garcia Cardoso

Café da Manhã, Edição de 05 de Outubro de 2021, com Aurelho Garcia Cardoso. Professor, Pastor e Político de 92 anos de idade.

Malanje, Ngulungo Alto, Luanda e Libolo, localidades revisitadas com lucidez e encanto.
Data de Emissão: 05-10-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Aurelho Garcia Cardoso
PARTICIPANTES
Café da manha, Edição com Filinto Costa Alegre

Café da Manhã, Edição de 28 de Setembro de 2021, com Filinto Costa Alegre, Um dos Pioneiros das Revoluções que aconteceram em São Tomé e Princepe, país onde nasceu.

Data de Emissão: 28-09-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Felinto Costa AlegreSão Tomé
Café da Mnhã com Leonel Mário Dalva

Café da Manhã, Edição de 21 de Setembro de 2021, com Leonel Mário Dalva, foi o Primeiro Ministro no governo de transição em São Tomé e Princepe.

Data de Emissão: 21-09-2021 às 07:00
Género(s): Entrevista
Tópicos(s): Leonel Mário DalvaSão Tomé
Café da Manhã com Manuel Pinto da Costa

Café da Manhã, Edição de 14 de Setembro de 2021, com Manuel Pinto da Costa.

Com estudos feitos no seu país, Luanda e Berlim, Pinto da Costa (86), foi o primeiro Presidente da República Democrática de S.Tomé e Príncipe.
Durante quase duas horas conversamos sobre a história deste lindo país, envolto nas suas contradições e contrariedades mas firme na convicção de querer e poder ser uma referência de bem estar, progresso e harmonia.
Data de Emissão: 14-09-2021 às 07:00

Relacionados